Covid-19/Fogo: Autoridades sanitárias preocupadas com pessoas testadas e que não aguardam resultados em casa

São Filipe, 23 Nov (Inforpress) – As autoridades sanitárias em São Filipe, na ilha do Fogo, mostram-se preocupadas com as pessoas que aguardam pelos resultados dos testes PCR, mas que teimam em não permanecer no isolamento domiciliar.

A preocupação foi manifestada durante a reunião semanal da equipa de reforço ao combate a covid-19, criada há pelo menos duas semanas, e, como forma de ultrapassar a situação, decidiu para o reforço da sensibilização e da fiscalização para o cumprimento das medidas sanitárias.

A título de exemplo, algumas pessoas, sobretudo jovens e sem sintomas, contactantes directos de casos positivos, não têm estado a respeitar o isolamento e há casos de pessoas que deambulavam durante o período que aguardavam pelo resultado e que acabaram por testar positivo, podendo, assim, contaminar outras pessoas.

A equipa de sensibilização e de fiscalização vai reforçar acção nos locais com maior número de casos positivos e a Polícia Nacional (PN) já vai avançar, a partir desta semana, com aplicação de coima aos infractores pela não utilização de máscaras na via pública.

“O que nos preocupa é o controlo das pessoas que aguardam resposta dos testes PCR”, disse a delegada de Saúde de São Filipe, Joana Alves, observando que a delegacia tem mapeado as zonas com maior incidência para a realização do trabalho de fiscalização e sensibilização já a partir de terça-feira.

Com relação ao município de São Filipe, o principal epicentro da covid-19 a nível nacional, na semana de 16 a 22 de Novembro foi a que teve maior número de infecções, com um total de 234, mais de 30 casos por dia, com um aumento superior a 80 infecções comparativamente à semana de 09 a 15 de Novembro.

Neste momento, o município contabiliza mais de 130 casos activos de covid-19, dos quais 14 são da cadeia civil de São Filipe e outros tantos da localidade de Luzia Nunes, 13 do bairro III Congresso, mas os bairros como Lém, Cobom, Columbia, Santa Filomena, Achada São Filipe e as zonas de Cutelo Capado, Curral Grande, Ponta Verde, Monte Tabor, Velho Manuel, Lomba, Penteada estão na lista das localidades com casos activos.

A nível do estabelecimento prisional, que desde Março está proibida a visita aos reclusos, ao todo contabiliza 47 casos acumulados, dos quais 34 activos, num universo de 90 reclusos e uma dezena de funcionários/guardas prisionais.

Hoje, uma equipa da delegacia de saúde visitou o estabelecimento para recolha de amostras de todos os reclusos e os demais funcionários da cadeia civil para testes PCR [Polymerase Chain Reaction].

A nível do município de São Filipe, que continua a enviar amostras para Cidade da Praia já que o equipamento do hospital regional não está a realizar testes há cerca de duas semanas, segundo a delegada de Saúde, neste momento estão pendentes mais de duas centenas de amostras que aguardam respostas referentes aos dias 19, 20 e 21 de Novembro e uma pequena parte (26) do dia 18.

A ilha do Fogo contabiliza neste momento um total acumulado de 1.179 casos de covid-19 desde o surgimento do primeiro caso a 17 de Agosto, distribuídos pelos municípios de Santa Catarina (38), Mosteiros (202) e São Filipe (939 casos).

Em termos de recuperados a ilha regista 1.033 recuperados, sendo 35 em Santa Catarina, 192 nos Mosteiros e 806 em São Filipe, e seis óbitos, dos quais quatro em São Filipe, um nos Mosteiros e outro em Santa Catarina.

Em relação a casos activos, o total na ilha do Fogo é de 141, sendo dois em Santa Catarina, nove nos Mosteiros e 132 em São Filipe.

JR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos