Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19/Fogo: Autoridades de Saúde equacionam encontro com dirigentes desportivos antes da retoma

São Filipe, 02 Fev (Inforpress) – As autoridades sanitárias da ilha defendem a necessidade da realização de um encontro de reflexão com os dirigentes desportivos e representantes das câmaras municipais antes da retoma das actividades desportivas.

O director do hospital São Francisco de Assis e da Região Sanitária Fogo/Brava e a delegada de Saúde de São Filipe, Evandro Monteiro e Joana Alves, respectivamente, manifestaram a necessidade da realização do encontro durante a reunião semanal da equipa de “task force” de combate a pandemia no município de São Filipe, realizada segunda-feira, 01 de Fevereiro.

“Seria bom a realização de um encontro de reflexão com os vereadores dos desportos, dirigentes dos clubes, associações e outras instituições envolvidas para preparação da retoma das actividades desportivas”, disse Evandro Monteiro, lembrando que querendo ou não tem de cumprir o que está estabelecido, mas “da melhor maneira possível”.

O encontro seria a nível da ilha para elaboração de um plano regional para o reinício das actividades desportivas, referiu o director da Região Sanitária, para quem “uma coisa é a realidade estatística e outra é a realidade científica”, duvidando que mesmo com a vacina vai haver zero casos para o futuro.

Para o mesmo, as medidas têm de ser reforçadas e actualizadas e a própria abertura dos espaços tem de estar enquadrado dentro do plano sanitário porque, explicou, o início das actividades não é só colocar jogadores dentro do campo.

Evandro Monteiro considera que o plano sanitário para a retoma das actividades desportivas não prevê a realização de testes para jogadores, dirigentes públicos e outros intervenientes, o que, no dizer do mesmo, “é uma grande fragilidade grande”, sublinhando que os jogadores não vão entrar no recinto de jogo com álcool gel para desinfectar a bola, por exemplo, sempre que alguém toque nela.

“O risco de contágio é real e não insignificante ou baixa como se pretende fazer passar e deveria haver medidas mais específicas”, advogou Evandro Monteiro, considerando a ideia de abertura dos espaços desportivos de “louvável e louvado”, mas a sua implementação não é fácil.

A garantir de segurança do funcionamento dos espaços é atribuição do pessoal de saúde/associações desportivas e o plano de contingente deve ser adequado, já que a Delegacia de Saúde não está em condições de testar todos os jogadores e nem sabe qual a periodicidade de realização de testes e por isso, adiantou, “são questões sérias, delicadas e difíceis, mas que devem ser discutidas para encontrar solução”.

A delegada de Saúde, Joana Alves disse que há várias questões que constam no documento publicado no Boletim Oficial (BO), nomeadamente existência de plano de contingência da associação e dos clubes e adaptação dos espaços, sublinhando que caberá a equipa de fiscalização aprovar e certificar de que o espaço reúne as condições sanitárias antes de os liberalizar.

As condições de segurança sanitária são assumidas pelas federações/associações e no caso de futebol existe um contacto com o presidente da associação regional que ficou de criar as condições antes da fiscalização.

Presente no encontro, o vereador do desporto da Câmara Municipal de São Filipe, João José Canuto, disse que a autarquia já recebeu vários pedidos das associações sobre a abertura dos espaços desportivos, e a mesma solicitou um parecer da Delegacia de Saúde sobre esta matéria.

“Já recebemos o parecer e desde que tem condições sanitárias vamos fazer a abertura dos espaços, que serão adaptados em concertação com a associação para treino”, disse o vereador, indicando que neste momento nenhuma equipa e nem a associação estão preparadas para cumprir com a parte sanitária, já que existe apenas um espaço para treino que será utilizado por uma dezena de equipas de futebol.

O vereador estabeleceu contacto na segunda-feira com o presidente da associação para dar a conhecer o parecer da Delegacia de Saúde e concertar sobre a reabertura dos espaços, devendo as partes terem os planos contingências.

O presidente da Associação Regional de Futebol do Fogo, Pedro Pires, disse à Inforpress de que a associação já entregou o plano de contingência à Delegacia de Saúde de São Filipe e ao director da Região Sanitária e aguarda pela decisão antes da abertura dos espaços desportivos.

JR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos