Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19: cenário será “sombrio” e com impacto negativo para África e países de Estado Insular – responsáveis internacionais

Cidade da Praia, 16 Jul (Inforpress) – A crise provocada pela pandemia da covid-19 vai provocar um cenário global “sombrio” a nível económico, com projecções de dez anos de retrocesso e impacto maior para África e países de Estado Insular, como Cabo Verde.

A afirmação é da Ana Graça e Eneida Fernandez, com base em projecções efectuadas pelas referidas instituições, durante a sessão de abertura do debate sobre “Impacto da Covid-19 na Economia Cabo-Verdiana” que aconteceu esta manhã, por videoconferência, na Cidade da Praia.

A coordenadora residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde, Ana Graça, que considerou de “importante” o atelier, sublinhou que a pandemia começou como uma crise global de saúde para, “rapidamente”, se tornar numa crise económica e social, afectando países e populações mais vulneráveis.

“O cenário global é bastante sombrio e as projecções apontam para uns dez anos de retrocesso em termos de desenvolvimento humano, e em grande parte, devido a perda do emprego, do rendimento das famílias e diminuição das taxas de crescimento”, disse.

A nível regional, acrescentou, o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) aponta para um crescimento negativo para África, entre 1.7% a 3.4%, um aumento de cerca de 28 a 49 milhões de pessoas a viverem em situação de pobreza e uma perda de 25 a 30 milhões de empregos.

Lembrou, ainda, que Cabo Verde está entre os países que sofrerá maior impacto com esta crise, devido ao facto de os sectores que mais contribuem para o Produto Interno Bruto (PIB) estarem em baixo, por estar mais exposto ao estoque externos e com o agravante dos três anos seguidos de seca.

Ana Graça, que considera a solidariedade e a cooperação internacional como “importante” agora, mais do que única, acrescentou que nesta fase é preciso avaliar o impacto da crise sobre a economia para se poder saber como reformular as políticas públicas para uma recuperação mais célere.

Para a representante residente do Banco Mundial em Cabo Verde, Eneida Fernandez, o debate de hoje é mais uma oportunidade para que o Governo cabo-verdiano repense e seja mais ambicioso nas adaptações e estratégias de fonte de desenvolvimento económico do país.

“É importante lembrar que o impacto da crise na África é extremamente elevado, pelo que países de estados insulares, como Cabo Verde, os impactos serão ainda maiores”, observou.

Feito essa observação, Eneida Fernandez apontou o sector do turismo, investimentos privados e a diáspora com as suas remessas, como áreas principais e de fonte económico para o país, que merecem um debate “sério”.

Ainda para Eneida Fernandez, o investimento privado vai ser, mais do que nunca, de extrema importância para a recuperação da economia do País, pelo que deve ser focalizado numa área de estimulo a curto prazo.

O Governo, segundo disse, deverá adoptar políticas que encorajam a necessidade de investimento pós pandemia e permitir relançamento da capital mão de obra humana no país.

O debate sobre “Impacto da Covid-19 na Economia Cabo-Verdiana” visa avaliar o ponto de partida a nível dos sectores económicos que contribuem para o aumento do PIB do país.

PC/DR
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos