Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19: CEDEAO destaca necessidade de produção de vacinas a nível local

Cidade da Praia, 24 Jul (Inforpress) – A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) defende a necessidade de desenvolver estudos com vista à produção de vacinas na sub-região, devido às dificuldades impostas pelo encerramento de fronteiras pelos países parceiros, em virtude da pandemia.

Em comunicado, a organização sub-regional explica que esta necessidade foi avançada pelo comissário da CEDEAO para a Indústria e Promoção do Sector Privado, Mamadou Traoré, durante a apresentação do relatório sobre os sectores à Comissão Mista de Estudos e Política Macroeconómica/Administração do Parlamento da CEDEAO, que se encontra reunida na sua segunda sessão extraordinária.

Para concretizar este propósito a CEDEAO apresentou aos parlamentares da comunidade um plano para melhorar e desenvolver a produção local de medicamentos, baseada na medicina tradicional (The Traditional Herbs) e outros produtos, como máscaras faciais e desinfectantes para as mãos.

Outrossim, “tivemos dificuldades em conseguir medicamentos de países vizinhos, quando estes fecharam as suas fronteiras. Fomos obrigados a recorrer aos produtos tradicionais para combater o coronavírus”, lembra Mamadou Traoré, reiterando que, por isso, os países da sub-região devem ser capazes de desenvolver a vacina, através de indústria local.

Sobre a questão de ervas para medicamentos tradicionais contra a covid-19, Mamadou Traoré garantiu que a Organização Oeste Africana da Saúde (OOAS), a agência especializada da Comissão da CEDEAO, está a analisar este assunto.

Mas adverte, desde logo, aos parlamentares dos 15 que se trata de uma questão que exige uma rigorosa investigação e desenvolvimento, através de testes laboratoriais e em tempo real, antes da sua comercialização no mercado.

“Um processo, avisa o comissário, moroso, que leva, pelo menos, sete anos”, pode-se ler no comunicado.

Contudo, informa a mesma fonte, são precisos 121 milhões de euros para apoiar os Estados membros da CEDEAO na aquisição de equipamentos, formação e capacitação no âmbito do projecto de certificação de produtos regionais (ECOSO).

HR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos