Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19: Cabo Verde vai pedir perdão de dívida externa para ter espaços para investir em sectores importantes

Cidade da Praia, 17 Abr (Inforpress) – Cabo Verde vai iniciar um processo para conseguir não só a moratória no pagamento das dívidas como um perdão da divida externa, por forma a ter recursos para cobrir o “gap” orçamental na ordem dos 200 milhões de euros.

A informação foi avançada hoje pelo vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, durante a cerimónia que oficializou a disponibilização de cinco milhões de euros da União Europeia à tesouraria do Estado Cabo Verde, para financiar medidas desenhadas para fazer face à pandemia da Covid-19 .

Olavo Correia disse que, para além de cobrir o gap orçamental, na ordem dos 200 milhões de euros, Cabo Verde deve iniciar um processo e trabalhar uma agenda no quadro dos Pequenos Estados insulares e países africanos menos desenvolvidos para garantir a moratória e o perdão da divida externa

“A moratória em si é um sinal, mas ainda não é uma medida suficiente. Digamos que temos de conseguir a perdão da dívida externa, para permitir que o Estado de Cabo Verde possa ter espaços para continuar a investir nos sectores que podem ser determinantes nessa recriação da economia cabo-verdiana. Nós queremos no curto prazo conseguir 200 milhões de euros para fechar os gap orçamental e depois colocar na agenda pública internacional o tema do perdão da dívida externa”, disse.

Conforme indicou, da parte internacional tem havido sinais positivos, pelo que espera que haja comprometimento no sentido de trabalhar essa agenda que deverá abranger também os países mais impactados pela pandemia, como é caso de Cabo Verde.

Como forma de ter recursos para, não só minimizar os impactos da pandemia junto das pessoas, como também para ter recursos para a recuperação da economia no pós-pandemia. Cabo Verde está a trabalhar como diversos parceiros, entre os quais União Europeia. o Banco Mundial, o Banco Africano, o banco do Luxemburgo, o FMI e com todos os países a nível lateral e multilateral.

“Temos tido da parte de todos uma abertura para discutirmos os assuntos e vamos ir fechando as negociações e estou muito optimista em como nós conseguiremos o apoio dos nossos parceiros”, declarou.

Da parte da União Europeia, o arquipélago recebeu hoje uma doação de cinco milhões de dólares, correspondentes a 551 mil contos, verba que vai ser utilizada para financiar as medidas de protecção social em curso.

Cabo Verde conta com 56 casos positivos da Covid-19, sendo 51 na ilha da Boa Vista, quatro Cidade da Praia e um na ilha de São Vicente.

Dos casos confirmados, registou-se um óbito, um cidadão inglês de 62 anos, que se encontrava de férias na ilha, e um doente recuperado.

A nível mundial pandemia da covid-19 já matou pelo menos 145.673 pessoas em desde que surgiu em Dezembro na China, segundo um balanço da AFP às 11:00, que dá conta de mais de dois milhões de infectados em 193 países.

MJB/JMV

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos