Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19/Boa Vista: “As pessoas têm de permanecer na ilha para se evitar outros riscos” – primeiro-ministro

Sal Rei, 16 Abr (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, afirmou hoje que as pessoas têm de permanecer na Boa Vista, assim como nas outras ilhas, pois deslocações inter-ilhas neste momento seriam “um grande risco”.

O primeiro-ministro fez esta afirmação após uma reunião, hoje, na ilha da Boa Vista, que contou com a presença do Sistema da Protecção Civil, que integra as forças de segurança e as instituições ligadas a Saúde.

O primeiro-ministro respondia sobre a situação que se coloca de momento, tendo em conta o grande número de pessoas que diariamente pede para sair da ilha da Boa Vista.

Conforme Ulisses Correia e Silva, se teoricamente, à partida, não se sabe quem está ou não contaminado, logo será necessário conter-se nas ilhas para facilitar o controlo da doença.

“É por esta mesma razão que nós fechamos as fronteiras externas, quanto menos estivermos a entrar ou a sair de Cabo Verde mais controlamos a doença”, considerou o primeiro-ministro, que lembrou que há-de resolver também outra situação, a de reforçar a parte da acção social, com a verificação e identificação das pessoas com necessidade derivada das dificuldades criadas por restrições relacionadas com a covid-19, nomeadamente na economia e nos rendimentos familiares.

Para o primeiro-ministro, o facto de as pessoas não estarem com emprego não é argumento para pressionar para saírem para as outras ilhas.

Isto porque, analisou, as deslocações entre as ilhas poderão fazer “aumentar o nível de risco para níveis incontroláveis, e há que compreender todo o trabalho que está a ser feito”.

“Há apenas uma iniciativa, um caminho diferente que este, e vai ser lançado, que é o regresso a casa relativamente a pessoas que após a declaração do estado de emergência estavam fora das suas ilhas, da sua residência habitual”, justificou o primeiro-ministro.

“Se uma pessoa que mora na ilha do Sal, por exemplo, que foi ou que está na ilha da Boa Vista para alguma actividade relacionada com a sua profissão, poderá regressar desde que faça prova de teste de que não tem situações que possam colocar risco da sua saúde e a saúde dos outros”, exemplificou o chefe do Governo.

Cabo Verde conta 55 casos positivos da covid-19, sendo 51 na ilha da Boa Vista, três na cidade da Praia e um na ilha de São Vicente.

Dos casos confirmados, registou-se um óbito, um cidadão inglês de 62 anos que se encontrava de férias na ilha, e um doente recuperado.

Segundo um balanço da agência AFP, do dia 15, baseado em dados oficiais dos países, a pandemia do novo coronavírus já matou 131.639 pessoas e infectou mais de dois milhões em todo o mundo desde Dezembro.

Os dados recolhidos até às 19:00 GMT (18:00 de Cabo Verde) pela agência noticiosa francesa, 2.033.620 de casos de infecção foram oficialmente diagnosticados em 193 países e territórios desde o início da epidemia, em Dezembro passado, na China.

VD/AA

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos