Covid-19/Boa Vista: A ilha regista corrida desenfreada para compra de gás

Sal Rei, 18 Mar (Inforpress) – A ilha de Boa Vista registou hoje uma corrida desenfreada de pessoas ao posto de abastecimento para comprar garrafas de gás de 6 e 12 kg, tendo sido necessário recorrer à polícia nacional para repor ordem na fila que se fez esta tarde.

Hoje, no período de manhã, num dos postos de combustível da cidade, não havia gás e as pessoas começaram de imediato a se colocarem em filas, ou marcaram os lugares com as botijas de gás e carrinhas de mão, à espera do barco desembarcar o carregamento de gás no porto de Sal Rei.

Já na parte da tarde, registou-se uma enchente de pessoas para fazer contrato ou trocar as botijas, na maioria de 6 e 12 kg, sendo que segundo informações recolhidas no posto “somente na parte de manhã vendeu-se cerca de 71 garrafas em 10 minutos”.

Quando a Inforpress abordou algumas pessoas na fila, a maioria alegou que está a agir na prevenção, ao comprar stock de botijas para armazenar em casa, caso não conseguirem mais tarde adquirir este bem por causa das contingências do Coronavírus.

Entretanto, o revendedor Romario Sequeira garantiu que “estão a vender somente uma botija para cada pessoa, de modo a garantir que todos consigam se abastecer”.

Romira Fortes disse que “de manhã quando foi comprar gás e que lhe foi informada que não havia, por isso decidiu voltar à tarde para garantir a sua compra”.

Já Sónia Neves afirmou que “gostaria de conseguir comprar mais do que uma botija e adiantou ainda que já fez stock de outros produtos alimentícios em casa”.

Uma outra fonte do posto chama a atenção pelo facto das pessoas armazenarem mais do que uma botija de gás, sendo que se corre o risco de fugas de gás, colocando vidas em perigo, quando se tem uma aberta e outra ainda sem usar em casa.

Alertou ainda para a forma como se está a carregar mais dos que uma botija sem segurança nos carros.

A mesma fonte garantiu ainda que não há e nem haverá rotura de stock, pelo menos por agora, uma vez que o navio que carrega as botijas está a navegar normalmente e que há gás suficiente para abastecer o mercado pelo menos entre 20 a 30 dias.

VD/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos