Covid-19: Black Panthers leva campanha de sensibilização à comunidade da Várzea

Cidade da Praia, 17 Set (Inforpress) – A Associação Juvenil Black Panthers tem em curso uma campanha de sensibilização contra a covid-19, junto da comunidade da Várzea, no quadro das actividades comemorativas do 40º aniversário da sua fundação, que se assinala em Dezembro.

Sob o lema “Black Panthers e comunidade juntos por uma Várzea sem covid-19”, esta associação juvenil, que havia já elaborado um leque de actividades diversas para assinalar este “momento histórico”, aposta sobretudo na implementação de uma campanha porta-a-porta.

O presidente dos Black Panthers afiançou à Inforpress que para a materialização deste projecto tem estado a contar com parceiros como o CCS-Sida, o Instituto Nacional de Saúde Pública, porquanto a associação elegeu a covid-19 como a prioridade das prioridades já que esta pandemia tem limitado o grosso das actividades, inicialmente previstas.

Alcides Amarante assegurou que os seus activistas sensibilizam a comunidade sobre a pandemia, com recurso a panfletos e cartazes, mediante a distribuição de máscaras, sobretudo, nas campanhas porta-a-porta.

Esta campanha, revelou, está projectada para sensibilizar toda a comunidade da Várzea com mensagem alusiva a pandemia da covid-19, no âmbito de um plano estratégico já elaborado para que a comunidade seja devidamente informada sobre esta situação.

A organização, atestou, teve o cuidado de munir os activistas de equipamentos de protecção individual como luvas, gel e máscaras para se protegerem nos contactos.

Dado às limitações impostas por esta pandemia, as restantes actividades inicialmente programadas, como um torneio internacional de andebol com a presença da Académica de Leiria (Portugal), assim como no futebol feminino, encontram-se numa incógnita enquanto as acções de carácter social e cultural aguardam pela evolução epidemiológica no País.

Em relação ao seu infantário, Mini-Black, que funciona com 64 crianças, encontra-se de portas fechadas desde Março, dadas as recomendações impostas pelas autoridades sanitárias, mas este dirigente diz-se preparado para reabrir as portas, apenas com uma única turma, após decisão definitivamente do Governo.

Quanto ao Centro de Idosos com o qual os Black Panthers prestam assistência a 75 pessoas, a associação decidiu para o encerramento definitivo das portas este ano, prometendo reabri-la só para o ano, por se tratar de uma faixa etária vulnerável, mas todos continuam a ser apoiados nos seus domicílios com bens básicos e produtos de higiénicos e sanitários.

SR/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos