Covid-19: Biden pretende ajuda de emergência para combater pandemia

Wilmington, 21 Nov (Inforpress) – O Presidente eleito Joe Biden, apelou ao Congresso para aprovar uma verba de milhares de milhões de dólares para combater a covid-19, indicou um alto responsável da sua equipa, adiantando que “não existe mais espaço para atrasos”.

Jen Psaki, adjunto de Biden na equipa de transição, emitiu este alerta antes do primeiro encontro de Biden, desde a sua anunciada vitória nas presidenciais, com o presidente democrata da Câmara dos representantes, Nanci Pelosi, e o líder democrata do Senado, Chuck Schumer.

O Presidente eleito democrata recebeu os líderes democratas do Congresso na tarde de hoje no seu quartel-general de transição em Wilmington, estado do Delaware.

Biden disse que Schumer, Pelosi e a vice-presidente eleita Kamala Harris usaram máscara e sentaram-se espaçadamente na mesa da reunião.

“Na minha Sala Oval, mi casa, you casa”, disse Biden durante um breve encontro com os jornalistas autorizados a assistir ao encontro. “Espero que passemos muito tempo juntos”.

Pelosi referiu numa prévia conferência de imprensa que ela própria e Schumer iriam abordar com Biden “a urgência em esmagar o vírus”, e a forma de o Congresso apoiar a ação do Governo no combate à pandemia.

No entanto, as perspectivas de uma nova ajuda para esta área até ao final de 2020 permanecem incertas. Pelosi disse que as conversações de quinta-feira com o líder maioritário de Senado, o republicano Mitch McConnell, e a liderança do GOP (abreviatura de Grand Old Party, o Partido republicano) não permitiram qualquer consenso sobre um novo pacote para combater o coronavírus.

“Não aconteceu, mas decerto que acontecerá”, disse.

Ainda hoje, McConnell, um republicano do estado do Kentucky, propôs que o Congresso disponibilize 455 mil milhões de dólares (384 mil milhões de euros) de apoio a fundo perdido às pequenas empresas no âmbito do novo pacote de ajuda. A sua oferta surgiu após um encontro com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows.

O encontro com Biden registou-se dois dias após os democratas da Câmara dos representantes terem designado, e confirmado, Pelosi a presidente desta instituição que vai dirigir de novo os democratas em 2021, após Biden ser empossado Presidente em 20 de Janeiro próximo, apesar de a própria ter sugerido que este será o último de dois anos neste cargo de liderança.

O Presidente Donald Trump continua a bloquear uma “transição suave” de poder para o próximo chefe da Casa Branca, ao recusar à sua administração que coopere com a equipa de transição de Biden.

Em particular, a administração Trump tem negado o acesso de Biden às conclusões das reuniões sobre segurança nacional e o planeamento do combate à pandemia, que os líderes dos dois partidos consideram importantes para permitir que Biden comece a governar imediatamente após a cerimónia de 20 de Janeiro.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.360.914 mortos resultantes de mais de 56,8 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.762 pessoas dos 249.498 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (252.555) e também com mais casos de infecção confirmados (mais de 11,7 milhões).

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos