Covid-19: BCV prepara pacote de medidas para mitigar impacto negativo resultante da pandemia

Cidade da Praia, 18 Mar (Inforpress) – O Banco de Cabo Verde revelou hoje que está a preparar um pacote abrangente de medidas ajustadas de estímulo monetário e financiamento da economia, visando a mitigação do impacto negativo resultante da pandemia do Covid-19 na actividade económica nacional.

“A par do acompanhamento da forma como as instituições financeiras estão a lidar com o novo coronavírus no relacionamento com os seus clientes e com o público em geral, o Banco de Cabo Verde (BCV), no âmbito das suas competências legais, está a preparar um pacote abrangente de medidas ajustadas de estímulo monetário e de financiamento da economia,”, lê-se numa nota de imprensa enviada hoje à Inforpress.

A referida instituição financeira destacou a importância de adopção de medidas pelas instituições bancárias, de acordo com as orientações do Governo e a OMS, na prevenção do Covid-19, visando garantir o bom funcionamento das mesmas e protecção da saúde dos seus clientes e colaboradores.

As instituições financeiras, segundo o Banco Central, devem aconselhar os seus clientes a utilizarem os canais digitais para a realização das operações financeiras, acrescentando que as agências devem dispor de um regime de acesso condicionado aos seus balcões.

Não tendo até o momento relato de problemas relacionados com dificuldades no atendimento físico de clientes, prossegue a mesma fonte, o Banco Central realça que não há, assim, quaisquer razões para preocupação relativamente à disponibilização de serviços financeiros.

“O Banco de Cabo Verde reitera a recomendação no sentido dos clientes bancários e de seguros privilegiarem o uso dos canais digitais e telefónicos, evitando, quando tal for possível, o recurso às agências. Esta recomendação aplica-se em especial aos clientes mais vulneráveis como idosos, pessoas com doenças crónicas ou sistemas imunitários enfraquecidos”, lê-se na nota.

Garantiu, neste sentido que os clientes bancários continuarão a ter total acesso ao dinheiro disponível nas suas contas, quer através da rede de caixas automáticas, quer realizando as operações de pagamento via canais digitais, quer ainda, se necessário, aos balcões, apelando assim que restringem a ida aos balcões.

O BCV afiançou, por outro lado, que adoptará todas as medidas necessárias para assegurar o bom funcionamento das infra-estruturas de pagamentos, em estreita articulação com os bancos e com a SISP.

“Para assegurar a disponibilização permanente de serviços financeiros, bem como preservar a estabilidade financeira, as instituições estão obrigadas, nos termos da Lei, a manterem planos de contingência e de continuidade de negócio”, avança a mesma fonte, que exorta as mesmas a ter a capacidade de operar numa base contínua e de conter perdas, caso se verifique uma perturbação grave de actividade.

No documento assegura-se ainda que o Banco de Cabo Verde continuará a monitorizar permanentemente a situação, podendo ser equacionadas novas medidas que se revelarem necessárias para garantir a liquidez, nomeadamente ao nível da política monetária e da supervisão prudencial.

O Banco de Cabo Verde reiterou por outro lado a continuidade do normal funcionamento das instituições financeiras do país e apela a todos à serenidade e ao cumprimento rigoroso das orientações emanadas pelas autoridades nacionais competentes relativamente ao Covid-19.

CM/ZS

Inforpress/Fim.

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos