Cosmar carece de radar de vigilância marítima e meios aéreos para patrulha

Cidade da Praia, 26 Mai (Inforpress) – A inexistência de radar de vigilância marítima e de meios aéreos para patrulha constituem um “calcanhar de Aquiles” do Centro de Operações de Segurança Marítima (Cosmar) no desempenho de acções de vigilância do espaço marítimo cabo-verdiano.

Esta preocupação foi revelada hoje pelos responsáveis do Cosmar, durante a visita que a ministra da Defesa Nacional, Janine Lélis, efectuou àquela instalação, na companhia dos seus homólogos de Portugal, de São Tomé e Príncipe e da Guiné Equatorial, no final do encontro entre as responsáveis pela pasta da Defesa de Cabo Verde e Portugal.

A ausência de radar de vigilância marítima, “que é muito caro” foi apontado neste encontro pelo primeiro-tenente Dias, como o grande “calcanhar de Aquiles” do Cosmar, sublinhando que, em caso de os navios desligarem os seus radares, fica difícil a sua monitorização, mesmo estando nas águas de Cabo Verde.

Já o capitão-tenente Givanildo Delgado, director do Cosmar, referiu que, actualmente, o combate à pesca ilícita, ao tráfico de estupefacientes e de seres humanos afiguram-se como das principais atribuições desta instituição marítima, pelo que, disse entender ser necessário investir em meios de patrulha área para uma maior rapidez das suas acções.

É que Cabo Verde como estado arquipelágico, exerce jurisdição sobre o maior espaço marítimo da África Ocidental, cerca de 734.265 Km2, tendo igualmente responsabilidades internacionais no campo da busca e salvamento marítimo sobre uma área extensa, cerca de 645.265 Km2.

Edificado em 2010 pela cooperação americana, o Cosmar é referenciado como braço da autoridade marítima, da polícia criminal especializada no mar, no narcotráfico ou na imigração ilegal, razão pela qual os responsáveis clamam pelo recurso a meios navais e aéreos, adaptados aos vários tipos de ameaças, cada vez, mais difusas e assimétricas.

O Cosmar conta actualmente com uma equipa constituída por três oficiais, 14 sargentos, 16 praças e um civil e destaca como um dos pontos altos da sua operação a apreensão da embarcação Alcatraz 1, com bandeira do Brasil, na posse de 5.668 quilogramas de cocaína.

Em 2021 o Cosmar monitorizou 9.060 navios a navegarem na ZEE de Cabo Verde, sendo que Novembro e Dezembro foram supervisionados maiores ocorrências, 1.232 e 1.103, respectivamente, ao passo que Janeiro (653) e Fevereiro (551) foram os meses com menos registos de movimentação das embarcações.

SR/HF

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos