Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Coreia do Norte acusa estudante australiano de “espiar” o país

Seul, 06 jul 2019 (Inforpress) – O estudante australiano libertado depois de ter sido detido na Coreia do Norte reconheceu que “espiava” este país, afirmou hoje a KCNA, agência oficial de notícias norte-coreana.

Alek Sigley, de 29 anos, um dos raros ocidentais a viver e estudar na capital norte-coreana, esteve desaparecido durante duas semanas antes de reaparecer em Pequim e chegar na quinta-feira ao Japão.

De acordo com a agência KCNA, Alek Sigley “admitiu, com honestidade, que estava a espiar e a recolher informações internas e a partilhá-las com outros”, e que terá pedido por diversas vezes o perdão por violar a soberania do país.

A KCNA informou que Sigley foi preso a 25 de Junho por ter divulgado propaganda contra o país, nomeadamente no NK News, um site norte-americano com sede em Seul que fornece informações e análises sobre a Coreia do Norte.

“Sigley, a pedido de órgãos noticiosos anti-DPRK (acrónimo de República Popular Democrática da Coreia), como a NK News, passou informações, incluindo fotografias e análises, que recolhia em viagens que fez por diferentes sítios de Pyongyang graças ao seu estatuto de estudante internacional”, escreve a agência noticiosa norte-coreana.

A KCNA esclareceu também que “o Governo da RPDC usou da sua tolerância humanitária e expulsou-o do território norte-coreano em 04 de Julho deste ano”.

Nascido em Perth, Alek Sigley é fluente em coreano tendo estudado no ano passado na Kim Il Sung University.
Alek Sigley também dirigiu uma agência de viagens e escreveu ‘posts’ e artigos sobre a vida quotidiana em Pyongyang, tendo-se casado com uma mulher japonesa no ano passado.

Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos