Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Coordenadora apela às pessoas a visitarem mais os museus porque é um espaço de conhecimento

Cidade da Praia, 18 Mai (Inforpress) – A coordenadora dos museus sob a tutela do Instituto do Património Cultural apelou hoje às pessoas que visitem mais os museus, porque estes são também espaço para a promoção do conhecimento, para a educação, para a ciência e lazer.

Ana Samira Silva falava em declarações à Inforpress, no âmbito do Dia Internacional dos Museus, que se celebra hoje, sob o lema “Os museus como eixos culturais: O futuro das tradições”.

Para celebrar a efeméride, o IPC vem desenvolvendo desde o dia 13 várias actividades, centradas em palestras, visitas guiadas, exposições itinerantes, amostras expositivas em escolas e em estruturas de ensino.

O lema deste ano, “Os museus como eixos culturais: O futuro das tradições”, para a mesma fonte, é “bastante apelativo”, porque espelha a essência dos museus e a missão que estes têm, não só de ser apenas lugares onde se guarda as memórias do passado, mas com um papel na construção de um futuro, através do legado do passado.

“Acabam por fazer uma ponte entre a importância do museu numa leitura entre o passado, o presente e o futuro, e a importância que o museu poderá ter para a dinamização da cultura, da questão da cidadania, da educação, da coesão social, na linha com aquilo que é o contributo da cultura e das próprias estruturas para o alcance dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável”, sublinhou.

Samira Silva apelou às pessoas a visitarem os museus antes de fazerem qualquer avaliação sobre o papel destes e antes de pensarem que os museus estão ali apenas para guardar objectos antigos.

A mesma pediu ainda que procurem ler os objectos que estão expostos nos museus para além do objecto e analisar o valor de memória por detrás de cada um.

Por exemplo, disse, “não vejam o balaio que está no museu apenas como aquele objecto, mas sim olhem toda a vivência cultural, história e toda a cabo-verdianidade por detrás dos objectos que estão expostos”.

AM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos