Cooperação Luxemburguesa vai investir cerca 3 milhões de euros no sector da água e saneamento

Cidade da Praia, 28 Jan (Inforpress) – A Cooperação Luxemburguesa vai investir cerca de três milhões de euros (aproximadamente 330 mil contos), durante este ano, no sector da água e saneamento, revelou a encarregada de Negócios da embaixada do Luxemburgo na Praia, Angèle da Cruz.

A garantia foi dada hoje, por este responsável, durante a 6ª reunião do Comité de Pilotagem do Programa de Apoio ao Sector da Água e Saneamento (PASEA), que decorre na Cidade da Praia, e tem por finalidade fazer a avaliação e balanço das actividades implementadas no âmbito do Programa Indicativo de Cooperação (PIC-IV) 2016/2020.

Segundo explicou Angèle da Cruz, os três milhões de euros a serem investidos no sector da água e saneamento em Cabo Verde fazem parte dos 8 milhões de euros previstos no PIC-IV horizonte 2016/2020 que estão centralizados nos três eixos de intervenção deste projecto, nomeadamente saneamento nas escolas, melhoria da eficiência das empresas de prestação de serviço de água potável e melhoria dos serviços de saneamento das instituições responsáveis.

“Para 2019, está previsto apoiar 37 escolas nas ilhas de Santo Antão, São Vicente e São Nicolau. Vamos continuar a apoiar as entidades gestoras da Água de Santiago (AdS) com o estudo sobre as perdas técnicas de água na Cidade da Praia, no tratamento da água do ETAR de São Vicente, Tarrafal de Santiago e Calheta do Maio”, avançou a responsável, que assegurou que as prioridades para este ano são as instalações sanitárias nas escolas e os trabalhos no domínio do saneamento.

Na ocasião, o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, considerou que a cooperação entre Cabo Verde e o Luxemburgo a nível do sector da água e saneamento tem sido “exemplar” e “muito profícua”, e tem contribuído para a inclusão social, melhoria da governança, das infra-estruturas e da prestação dos serviços.

O governante assegurou que essa cooperação tem sido “eficaz” e com “resultados positivos” a nível das intervenções nas escolas e tem contributo para a melhoria do processo educativo a nível da higiene e saúde pública.

“Demos também um passo grande, com a criação das verdadeiras operadoras de água e saneamento, com a aprovação do regime jurídico dos serviços de água e saneamento, onde os municípios são os titulares do serviço que é prestando através de empresas”, acrescentou o ministro, assegurando que essas empresas estão a ser reestruturadas.

Segundo disse Gilberto Silva, o Luxemburgo tem estado na linha da frente a ajudar o país a reestruturar o serviço de água e saneamento, nomeadamente Água Brava, Água de Santiago, Água do Maio, sendo que essa mesma abordagem vai ser implementada e utilizada na ilha de Santo Antão.

AV/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos