Conselho de Comandos é momento para a “avaliação dos compromissos assumidos” em matéria de segurança, considera o MAI (c/áudio)

Cidade da Praia, 25 Fev (Inforpress) – O ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, disse hoje que o conselho de comandos é uma oportunidade para a “avaliação dos compromissos assumidos” em matéria de segurança e também um momento de “introspecção e de auto-avaliação”.

“2018 foi um ano de excelentes resultados e de inúmeras realizações, com impactos profundos na segurança e no reforço da tranquilidade das pessoas”, indicou o governante na cerimónia de abertura do XIII Conselho de Comandos, que decorre durante dois dias na cidade da Praia.

Segundo o ministro, em termos operacionais, os resultados são, na sua globalidade, “bastante positivos”, e, de acordo com as suas palavras, nunca antes se verificou uma “diminuição tão acentuada e progressiva” da criminalidade no país.

“Os homicídios recuaram 2,6 por cento (%) a nível nacional, com menos uma ocorrência em relação ao ano passado, menos 24% na Praia, com menos quatro ocorrências, menos 32% na ilha de Santiago, com menos nove ocorrências”, precisou o governante, apontando ainda que os crimes contra pessoas “recuam para dados registados em 1997”, enquanto os “crimes contra o património recuam para dados registados em 2013”.

Na sua perspectiva, os crimes de violência baseada no género tiveram uma diminuição a nível nacional, em que, prossegue, “pesam preocupações de vária ordem”.

Para o ministro, 2018 foi o ano de “consolidação de uma forte aposta” no reforço da capacidade operacional da instituição policial, “em termos de materiais, de equipamentos, das condições de trabalho e da motivação dos efectivos”.

A título de exemplo, indicou alguns “ganhos importantes” para a Polícia Nacional, nomeadamente a normalização da problemática das promoções e progressões em atraso, as mais de 80 moradias para os efectivos no Sal e na Boa Vista, a inauguração do Centro de Comando, na Praia, o início da implementação do Projecto Cidade Segura e a aprovação da nova tabela remuneratória da carreira e função implementada a partir de Janeiro deste ano.

Anunciou que o seu ministério está a trabalhar no sentido de conseguir habitações noutras ilhas para o pessoal policial.

Paulo Rocha entende que o olhar deste XIII Conselho de Comandos tem que ser “estratégico e objectivo”, mas sempre consciente da realidade e dos desafios, com vista a manter o foco na “acção estratégica policial” e corrigir o que precisa melhorar.

Recomendou aos comandos no sentido de prosseguirem gestão por objectivos, já que isto “contribuirá para melhores resultados”.

Em 2018, revelam os dados hoje divulgados, o número de ocorrências registadas a nível nacional teve uma diminuição na ordem dos 18,5% (por cento), comparativamente a 2017.

A cidade da Praia, de acordo com o director nacional da Polícia nacional, Emanuel Moreno, é onde a redução da criminalidade é “mais acentuada”, seguida das ilhas de S. Vicente e Fogo.


LC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos