Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Conselho de Comandos é momento para a “avaliação dos compromissos assumidos” em matéria de segurança, considera o MAI (c/áudio)

Cidade da Praia, 25 Fev (Inforpress) – O ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, disse hoje que o conselho de comandos é uma oportunidade para a “avaliação dos compromissos assumidos” em matéria de segurança e também um momento de “introspecção e de auto-avaliação”.

“2018 foi um ano de excelentes resultados e de inúmeras realizações, com impactos profundos na segurança e no reforço da tranquilidade das pessoas”, indicou o governante na cerimónia de abertura do XIII Conselho de Comandos, que decorre durante dois dias na cidade da Praia.

Segundo o ministro, em termos operacionais, os resultados são, na sua globalidade, “bastante positivos”, e, de acordo com as suas palavras, nunca antes se verificou uma “diminuição tão acentuada e progressiva” da criminalidade no país.

“Os homicídios recuaram 2,6 por cento (%) a nível nacional, com menos uma ocorrência em relação ao ano passado, menos 24% na Praia, com menos quatro ocorrências, menos 32% na ilha de Santiago, com menos nove ocorrências”, precisou o governante, apontando ainda que os crimes contra pessoas “recuam para dados registados em 1997”, enquanto os “crimes contra o património recuam para dados registados em 2013”.

Na sua perspectiva, os crimes de violência baseada no género tiveram uma diminuição a nível nacional, em que, prossegue, “pesam preocupações de vária ordem”.

Para o ministro, 2018 foi o ano de “consolidação de uma forte aposta” no reforço da capacidade operacional da instituição policial, “em termos de materiais, de equipamentos, das condições de trabalho e da motivação dos efectivos”.

A título de exemplo, indicou alguns “ganhos importantes” para a Polícia Nacional, nomeadamente a normalização da problemática das promoções e progressões em atraso, as mais de 80 moradias para os efectivos no Sal e na Boa Vista, a inauguração do Centro de Comando, na Praia, o início da implementação do Projecto Cidade Segura e a aprovação da nova tabela remuneratória da carreira e função implementada a partir de Janeiro deste ano.

Anunciou que o seu ministério está a trabalhar no sentido de conseguir habitações noutras ilhas para o pessoal policial.

Paulo Rocha entende que o olhar deste XIII Conselho de Comandos tem que ser “estratégico e objectivo”, mas sempre consciente da realidade e dos desafios, com vista a manter o foco na “acção estratégica policial” e corrigir o que precisa melhorar.

Recomendou aos comandos no sentido de prosseguirem gestão por objectivos, já que isto “contribuirá para melhores resultados”.

Em 2018, revelam os dados hoje divulgados, o número de ocorrências registadas a nível nacional teve uma diminuição na ordem dos 18,5% (por cento), comparativamente a 2017.

A cidade da Praia, de acordo com o director nacional da Polícia nacional, Emanuel Moreno, é onde a redução da criminalidade é “mais acentuada”, seguida das ilhas de S. Vicente e Fogo.


LC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos