Congresso Internacional de Compras Públicas tem sido “muito bem acolhido” pelos participantes – porta-voz

Cidade da Praia, 15 Nov (Inforpress) – O III Congresso Internacional de Compras Públicas tem sido “muito bem acolhido” pelos participantes provenientes de países de língua oficial portuguesa e outros Estados africanos, disse hoje à Inforpress o porta-voz do evento, João Tavares.

“O congresso está a decorrer muito bem e com temas e comunicações extremamente pertinentes”, afirmou o administrador da Autoridade Reguladora das Aquisições Públicas (ARAP), para quem “estas contribuições vão enriquecer” aquilo que Cabo Verde está a desenvolver no quadro da implementação da plataforma electrónica no domínio das contratações públicas.

João Tavares adiantou que os painéis desenhados para este congresso “estão alinhados” com a perspectiva da introdução de uma plataforma da contratação pública que possa trazer “mais transparência” no processo das aquisições públicas.

Na perspectiva do administrador da ARAP, este evento tem sido “muito bem colhido” pelos participantes, ou seja, por parte de gestores públicos e de toda a massa crítica que constitui a administração central e local do país.

Segundo o porta-voz, no primeiro dia dos trabalhos os congressistas debruçaram-se sobre a necessidade de as pessoas “cumprirem com as regras da contratação pública” e estarem “em conformidade com as normas”.

“Não basta termos as ferramentas. Temos também de cumprir as regras e temos, sobretudo, de trabalhar as pessoas”, indicou acrescentando que sem “pessoas capacitadas e gestores preparados para conduzir os procedimentos”, o E-procurement (contratação electrónica) “não é nenhuma varinha mágica” e, por isso, não funcionará.

Deixou transparecer que os procedimentos no quadro do E-procurement terão que ser de forma a permitir que o Estado contrate bem, do ponto de vista económico “seja adequado e satisfaça as necessidades” da entidade adjudicante.

“O congresso está a tratar tudo isso, pelo que julgo que estamos no bom caminho”, sublinhou Tavares e, de acordo com as suas palavras, o nível dos debates e entrega dos participantes o leva a concluir, até ao momento, que o balanço é “extremamente positivo”.

É a segunda vez que Cabo Verde assume a realização de congresso do género e administrador da ARAP desafia os demais membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) a assumirem este evento nos próximos tempos.

Além do sector público, este III Congresso Internacional conta ainda com a participação do privado.

A segunda edição do Congresso Internacional de Compras Públicas aconteceu em Novembro de 2016, na capital angolana, Luanda.

LC/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos