Conferência internacional sobre Cidade Velha abre portas para Cabo Verde – Presidente da Kriol-Itá

Cidade da Praia, 29 Jan (Inforpress) – A presidente da Kriol-Itá disse em declarações à Inforpress  que a Conferência Internacional Cabo Verde e Atlântico – encruzilhada de pessoas, mercadorias e investimentos de capital (1460 -1610), que acontece hoje na Cidade Velha, abrirá portas para Cabo Verde.

A supracitada conferência internacional enquadra-se nas festividades de Nhu Santo Nomi, na antiga Cidade Velha, e é promovida pela Associação de Amizade Cabo Verde Itália (Kriol-Itá), pela Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago e pela Universidade de Cabo Verde.

Em entrevista à Inforpress, Maria Silva relembrou que, em Outubro de 2018, a Kriol-Itá teve a oportunidade de promover uma geminação entre o município de Ribeira Grande de Santiago e o município de Noli, que é de onde provém António da Noli, “que foi o descobridor de Cabo Verde”.

“Portanto foi uma geminação histórica, em que fizemos encontrar o passado e o presente”, disse esta dirigente associativa, completando que foi neste âmbito que nasceu a ideia de fazer esta conferência, com o intuito, sobretudo, de dar visibilidade à Cidade Velha, pela sua valência histórica enquanto Património Mundial da Humanidade e da Unesco.

A ideia, desde a primeira hora, foi, segundo esta fonte, fazer da Cidade Velha um “palco internacional” onde vários investigadores internacionais se encontrassem com os investigadores cabo-verdianos locais, para debaterem sobre assuntos importantes, que dizem respeito ao tráfico de escravos e de mercadorias.

Maria Silva informou ainda que os investigadores estrangeiros trazem “estudos inéditos”, que posicionam Cabo Verde num contexto mais amplo e valorizam a figura do arquipélago num contexto histórico mais alargado.

“É por isso que nós fizemos esse grande esforço”, frisou Maria Silva, citando apoios de “grandes universidades internacionais”, nomeadamente de Toronto, dos EUA, da Áustria e da Itália.

Prosseguindo esta interlocutora afirmou achar que o evento não somente será um momento de “grande valor histórico e cultural para Cabo Verde”, mas que o mesmo abre as portas para a Cidade Velha e Cabo Verde para, mais uma vez, serem divulgados lá fora.

“Cada um (investigadores internacionais) vai levar as conclusões que serão publicadas e defendidas nas próprias universidades. O nome de Cabo Verde estará nas maiores revistas científicas”, frisou.

Para já, Maria Silva vai avançando que os investigadores tiveram a oportunidade de visitar Cidade Velha e para eles “foi emocionante” tocar com as próprias mãos, ver com os próprios olhos a importância da do sítio e dos restos históricos que estão aí.

“Eles conseguem mais do que ninguém valorizar aquilo que eu continuo a dizer: Cidade Velha é o verdadeiro petróleo de Cabo Verde porque aí podemos construir um turismo cultural enorme”, pontuou.

Entretanto, Maria Silva informou que estes investigadores testemunharam aquilo que Cabo Verde está a perder em não valorizar aquilo que é Cidade Velha.

“Puderam ver. Temos aqui arqueólogos, historiadores que já estudaram em vários níveis e puderam ver a importância e o valor da Cidade Velha”, ajuntou.

A presidente da Kriol-Itá manifestou ainda o desejo de continuar a trabalhar com estes investigadores, por formar a fazer com que as universidades de onde provêm se aproximem aos poucos das universidades cabo-verdianas, o que será, na sua óptica, uma oportunidade para os jovens cabo-verdianos, tendo em conta “toda uma política lá fora de fazer com que sejam os africanos a estudar a sua própria história”.

Nesta linha, disse Maria Silva, a Kriol-Itá claro está aberta para fazer intermediações. Assim como fez entre a Universidade de Cabo Verde e “uma grande universidade italiana”.

GSF/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos