Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Conferência internacional recomenda desenvolvimento de sistemas de formação mais adaptados à realidade actual

Cidade da Praia, 09 Mai (Inforpress) – A Conferência Internacional “Negócio como uma Vocação Nobre”, realizada quarta-feira, na Cidade da Praia, concluiu que é necessário desenvolver sistemas de formação mais adaptados à realidade actual e às novas competências que demandam o sector privado.

Estas são, entre outras, recomendações apresentadas pelo porta-voz, José Manuel Medina, no final do encontro, promovido pela Associação dos Gestores, Empresários e Profissionais Católicos (AGEPC-CV), em colaboração com a União Internacional Cristã de Gestores e Empresários Africanos (Uniapac- África).

A conferência concluiu ainda que é necessário promover a igualdade no acesso ao emprego, ou seja é preciso identificar medidas que permitam às mulheres incorporar-se e manter no emprego ao longo das suas visas, promover e divulgar mais informações sobre os direitos dos jovens, mas também sobre os seus deveres.

“Continuar a desenvolver sistemas de formação mais adaptados à realidade actual e às novas competências que demandam o sector privado, lançar programas específicos de empreendedorismo e de apoio aos jovens empreendedores a nível financeiro, mas também de formação, capacitação e acompanhamento”, defendeu.

José Manuel Medina adiantou que o encontro contou com a participação de jovens de diferentes países da África Ocidental, onde esteve sobre a mesa questões ligadas aos desafios do desemprego jovem, do desenvolvimento tecnológico e a influência que a mudança climática poderá ter na criação de novas oportunidades e na perda de emprego.

Por seu turno, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva que presidiu à cerimónia de encerramento, desafiou a classe política no sentido de ter um forte compromisso com as gerações futuras, sendo que é uma responsabilidade que diz respeito a todos os intervenientes quer a nível político, social e empresarial.

“Falta acrescentar algo aos recursos que é a nossa capacidade de transformá-los em rendimento, educação, saúde, ciência, tecnologia, inovação, isso cria sustentabilidade e resultados para as pessoas. E é essa transformação que é um grande desafio para os políticos e aqueles que lideram para que de facto possamos ter uma atitude favorável ao desenvolvimento, mas acima de tudo temos que acreditar nos nossos países, no empenho, liderança e cidadania activa para atingirmos essas mudanças”, sublinhou

Na ocasião considerou que é preciso valorizar cada vez mais os jovens empreendedores, aqueles que correm e assumem os riscos que fazem a inovação e deixam resultados, uma vez que essa atitude empreendedora é “fundamental” para o processo de desenvolvimento de qualquer país.

O encontro foi promovido pela Associação de Gestores, Empresários e Profissionais Católicos de Cabo Verde (AGEPC-CV), em parceria com a União Internacional Cristã de Gestores e Empresários Africanos (Uniapac – África), a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e o Governo de Cabo Verde.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos