Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Conferência da AGEPC-CV debate o papel dos líderes empresariais na inclusão socioeconómica

 

Cidade da Praia, 15 Set (Inforpress) – A Associação de Empresários e Profissionais Católicos de Cabo Verde (AGEPC-CV) realizou na tarde de hoje, na Cidade Velha, uma conferência, subordinado ao tema “Líderes empresariais – agentes da Inclusão socioeconómica”.

Segundo a presidente da AGEPC-CV, Miluci Barbosa dos Santos, esta foi a da 11ª conferencia da associação e cuja escolha do tema decorreu da participação dos membros dessa organização na conferencia internacional com o mesmo tema realizado em Roma em Novembro de 2016.

Conforme indicou, no âmbito deste evento, mais de 600 pessoas encontraram-se com o papa Francisco, tendo este centrado a sua mensagem em três aspectos, designadamente usar bem o dinheiro, a honestidade e a fraternidade.

“Disse ainda o papa Francisco nesse encontro que todas as actividades humanas, incluindo as empresariais, podem ser uma prática da misericórdia. AGEPC –CV assumiu a missão de aprofundar as reflexões do papa Francisco e disseminar os resultados dos debates”, explicou

“O objectivo desta conferência é de aprofundar e envolver mais actores no processo de reflexão de um tema tão actual e que faz parte dos principais instrumentos de agenda política mundial designadamente a agenda 2030, tendo como quadro de referência a doutrina social da igreja”, acrescentou Miluci dos Santos.

A conferência teve como orador o ministro dos Assuntos Parlamentares e Presidência do Conselho de Ministros, e ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, que enalteceu o papel do sector privado no desenvolvimento de um país, salientando que os líderes empresariais são sim agente da inclusão na medida em que criam empregos.

Fernando Elísio Freire sublinhou ainda que toda política económica deve ter como foco o desenvolvimento social, o combate às desigualdades sociais reinantes no país e na criação da riqueza de uma forma honesta, justa e fraterna.

“A nossa política económica deve ter a capacidade de transformar cada líder empresarial num agente de inclusão social económica. O grau de desenvolvimento social de uma sociedade é a condição chave para se aferir do nível da qualidade praticada nessa mesma sociedade”, disse.

O ministro acrescentou que é convicção desse Governo que uma sociedade só é verdadeira democrática quando prima pelo princípio da justiça e da solidariedade de quando todos os cidadãos usufruem plenamente dos benefícios gerados pela sua colectividade.

Fernando Elísio Freire indicou ainda que a nova geração de políticas sociais que o governo está a executar privilegiará a inserção social em vez da mera subsidiação.

“Este modelo vai assentar-se na mudança de paradigma estatizante e de condicionamento dos cidadãos e aposta na construção de uma parceria alargada entre o Estado, as autarquias e a sociedade civil, reconhecendo o papel fulcral às instituições religiosas e às instituições privadas de solidariedade social”, disse.

O encontro contou também com a presença do cardeal e bispo da diocese de Santiago, Dom Arlindo Furtado, que enalteceu a iniciativa da AGEPC-CV.

MJB/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos