Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Companhia de teatro Fladu Fla leva teatro aos diferentes bairros da capital durante o mês de Março (c/áudio)

Cidade da Praia, 13 Mar (Inforpress) – A companhia de teatro Fladu Fla leva, durante todo o mês de Março, várias peças teatrais para alguns bairros da capital do país, permitindo, deste modo, que as comunidades tenham possibilidade de assistir uma produção cénica ao vivo.

A informação foi avançada hoje à Inforpress pelo presidente da companhia, Sabino Baessa, que apresentou também a programação do grupo para assinalar “Março-mês do teatro” e a sua agenda anual que envolve várias deslocações ao estrangeiro.

Conforme referiu, a novidade na programação deste ano é que “vão dar à comunidade a oportunidade de assistirem uma produção cénica, com cabeça, tronco e membro”, mas um teatro que “represente a identidade cultural cabo-verdiana e com um nível de qualidade aceite por qualquer plateia”.

Explicou que a comunidade de Achadinha Cima foi a primeira a receber a peça “Sexta-feira 13” no passado dia 09, mas ainda vão levar o teatro à Achada São Felipe, Safende, Achada Grande, para além dos espectáculos clássicos que vão acontecer nos espaços de rotina, nomeadamente no Palácio da Cultura Ildo lobo e o Centro Cultural Português.

Para Sabino Baessa, a companhia de teatro Fladu Fla é a que “tem mais dinâmica na ilha de Santiago”, mas como não querem que os santiagueses se limitem a ver apenas as suas produções, resolveram convidar alguns grupos (Djam Neguin, Cv Noia) e contadores de estórias (Nereida Delgado e Elisabete Gonçalves e João Semedo) para fazerem parte das actividades.

“Precisamos implementar uma nova dinâmica de teatro no país. Não podemos cingir apenas a trazer grupos internacionais a produzir seus espectáculos no nosso país, porque corremos o risco de corromper a própria identidade cultural cabo-verdiana”, disse, ajuntando que é preciso “criar condições para que os grupos nacionais fiquem munidos de ferramentas técnicas para trabalharem esta identidade, ou seja, fazer com que a produção local tenha o nível de qualidade equiparado a qualidade produzida a nível internacional”.

“Sexta-feira 13”, “Fronta Ka so agu Ku lumi”, “Revolta de Escravos”, “Jornada di badiu”, “Menos um”, “Recriação da história – Governador Artur M. Campos”, são algumas das peças que vão percorrer os bairros da capital, o mercado do Platô, a rua pedonal, entre outros.

Segundo este responsável, depois da recriação histórica da revolta de escravos, o vereador da Cultura da Câmara Municipal da Praia, António Silva, propôs ao grupo que recriassem a história da Praia.

Entretanto, em conjunto com alguns historiadores, nomeadamente António Correia e Silva e José Maria Semedo, concluíram que a história do Governador Artur M. Campos é um episódio relevante para ser recriada.

“Ele despertou no povo cabo-verdiano um novo paradigma para a democratização do sistema governativo no país. Governou por pouco tempo, apenas quatro meses, mas deixou marco na história da Praia e de Cabo Verde, por isso o vereador propôs essa reconstrução histórica” justificou.

Dando continuidade à programação, para além da Cidade da Praia, informou que nos dias 23 e 24 vão estar no concelho de Santa Cruz a ministrar um workshop sobre o teatro e na ocasião vão apresentar a peça “Fronta Ka so agu Ku lumi” e “Revolta de Escravos”.

No dia 23, é aguarda a encenação da peça “Vicky & Joel” e a participação do grupo “Enigma”.

Em relação à sua agenda anual, de Abril até Dezembro, o grupo tem previsto apresentar uma nova peça “Panha Sprito” (apanha de espíritos), “Príncipe y Prinsezas di Terá” (Príncipe e princesa da Terra) e ainda vão recordar, nos diversos palcos, as peças “Homem, Eterno prisoneiro” e “Revolta de Escravos”.

Está previsto ainda deslocações do grupo ao Brasil (Maio e Junho) para participar de um festival de teatro e ainda almejam uma deslocação ao Egipto.

Ainda de 19 a 27 de Outubro acontece a terceira edição do Festival do Atlântico “Teatri”.

AM/FP

Inforpress/Fim

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos