Comissão Especializada de Finanças do Parlamento critica ausência do PCA dos TACV na audição

 

Cidade da Praia, 19 Mar (Inforpress) – O presidente da Comissão Especializada de Finanças e Orçamento do Parlamento, José Maria Gomes da Veiga criticou hoje, na Cidade da Praia, a ausência do presidente do Conselho de Administração dos TACV, na audição e prometeu reagendar um novo encontro.

“A ausência do presidente da companhia aérea cabo-verdiana, José Luís Sá Nogueira na audição parlamentar, configura-se como um desrespeito claro para Assembleia Nacional e o seu presidente”, criticou José Maria Gomes da Veiga.

Segundo o parlamentar, o PCA dos TACV já tinha sido convocado uma vez e preferiu enviar uma nota a dizer que o administrador da empresa para área financeira estaria na audição, a representá-lo.

No entanto, confirmou que na mesma ocasião foi enviada uma nova nota a informar “que o convocado é o presidente e que os administradores, querendo podem acompanha-lo”.

Acusaram a recepção da nota enviada e perguntaram sobre a possibilidade do adiamento da audição. Foram informados que estando o presidente em Cabo Verde não havia razão para o adiamento, esclareceu.

Face à situação, o presidente da Comissão e deputado do PAICV, disse que “há uma tentativa clara do MpD em inviabilizar as próximas audições, nomeadamente com o presidente do CA dos TACV e os ministros da Economia, José Gonçalves e das Finanças, Olavo Correia.

“A partir do momento que vieram a público um conjunto de informações relacionadas com os TACV e sobretudo na audição com o representante dos trabalhadores da companhia, há uma tentativa clara de inviabilizar as próximas audições. Mas vamos dar seguimento às audições parlamentares”, disse Gomes da Veiga.

Pelas informações recolhidas durante a audiência configura-se “claramente a gestão danosa, a dilapidação dos recursos na companhia aérea nacional, sobrecarga dos pilotos no activo”, conforme denunciou o sindicato dos pilotos, frisou o presidente da Comissão.

“Tivemos um conjunto de informações que não coadunam com os conceitos da boa gestão. Vê-se claramente que não há uma orientação estratégica para os TACV. Precisamos esclarecer tudo isso durante a audição”, indicou.

Para além da falta de comparência do PCA dos TACV, José Maria Veiga criticou também a ausência dos deputados do MpD na audição, considerando que “há um boicote por parte dos colegas do partido que sustenta o Governo.

O presidente da Comissão Especializada de Finanças e Orçamento do Parlamento, prometeu, entretanto, que vai reagendar uma nova audição porque há várias questões sobre os TACV que precisam ser clarificadas.

JL/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos