Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Comércio externo regista decréscimo de 36,8% face ao primeiro trimestre de 2020, INE

Cidade da Praia, 30 Abr (Inforpress) – Os dados provisórios do Comércio Externo relativos ao primeiro trimestre de 2021 indicam um decréscimo na ordem de 36,8 por cento (%) relativamente ao mesmo período de 2020, anunciou o INE.

Conforme uma nota avançada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), as Importações diminuíram (11,6%) face ao primeiro trimestre de 2020, havendo uma diminuição das Reexportações em (40,4%) comparativamente ao mesmo período de 2020.

No período em análise, o déficit da balança comercial diminuiu (9,8%) e a taxa de cobertura diminuiu em 1,9 pontos percentuais.

De acordo com os dados, no primeiro trimestre de 2021, as exportações de Cabo Verde totalizaram 791 mil contos, correspondendo a um decréscimo de 461 mil contos (-36,8%), face ao período homólogo.

A Europa, continua sendo o principal cliente de Cabo Verde, absorvendo cerca de 94,1% do total das exportações Cabo-verdianas, tendo a Espanha liderado o ranking dos principais clientes do País na zona económica europeia, representando 34,6% no primeiro trimestre de 2021, mas diminuindo 26,1 pontos percentuais (p.p) face ao trimestre homólogo.

Entre os produtos exportados por Cabo Verde no primeiro trimestre de 2021, os preparados e conservas lideram o ranking com um peso de 49,4%. Os peixes crustáceos e moluscos ocupam o segundo lugar (17,7%) e os vestuários a terceira posição (11,9%), em relação ao registado no mesmo período do ano anterior.

Já no que tange às importações, o continente europeu, continua a ser o principal fornecedor de Cabo Verde, com 75,3% do montante total, contra 77,9% do mesmo período do ano transacto, seguido da Ásia/Oceânia (11,7%), da América (7,9%), do Resto do Mundo (3,1%) e da África (2,0%).

Segundo a mesma fonte, Portugal lidera entre os fornecedores de Cabo Verde, com 49,5% e França o segundo lugar com 5,9%, ambos com percentagens das importações superiores às registadas no período homólogo.

De seguida aparecem a China, os Países Baixos e a Espanha com 5,9%, 4,4% e 3,9% respectivamente, que apresentam diminuições nas importações em relação ao trimestre homólogo.

“Os dez principais produtos importados, atingiram 55,7% do montante total das importações de Cabo Verde. Os produtos mais importados foram: combustíveis com 10,5%, máquinas e motores com um peso de 9,7%, reactores e caldeiras com 7,0%, veículos automóveis com 6,9%, e ferro e suas obras com 5,3%”, pode-se ler no documento.

Por fim, as importações por grandes categorias de bens mostram que, no primeiro trimestre de 2021, todas as categorias de grupo evoluíram negativamente em relação ao mesmo período de 2020.

Os bens de consumo continuam sendo a principal categoria económica de bens importados por Cabo Verde, com (44,7%), seguido dos bens intermédios com (33,2%), bens de capital com (11,5%) e combustíveis com um peso de (10,5%), do total das importações face ao mesmo período de 2020.

HR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos