Preços de combustíveis descem em média de 5,5%

Cidade da Praia, 31 Dez. (Inforpress) – Os combustíveis passam a ter uma baixa generalizada de preço em média de 5,50 por cento (%) no país, a partir da meia-noite, de acordo com a última actualização do ano da Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME).

De acordo com a mais recente actualização dos preços máximos dos combustíveis para Janeiro de 2022, o gasóleo normal passa a ser vendido a 107$70 o litro, a gasolina 134$80, o petróleo a 92$90, o gasóleo para a electricidade a 92$50, o gasóleo marinha a 78$40, o fuel 380 a 88$90 quilograma e o Fuel 180 a 91$70 Kg.

Enquanto isto, o gás butano passa a ser vendido a granel por 157$90 o quilograma, sendo que as garrafas de 03 Kg passam a custar 450$00, as de 6Kg, a 948$00, as de 12,5Kg, a 1974$00 e as de 55 Kg passa a valer 8.686$00.

Deste modo, no mercado interno, os preços do gasóleo normal, gasóleo electricidade e gasóleo marinha diminuíram 5,11%, 5,90% e 6,11%, respectivamente, ao passo que a gasolina e o petróleo desceram 3,85% e 4,13%, respectivamente, com os preços do Fuelóleo 180 e Fuelóleo 380 a caírem 6,43% e 6,52%, e o butano a registar uma queda de 5,96%.

A ARME revela que, de acordo com os dados publicados no Platt’s European Marketscan e LPGa sWire, os preços médios dos combustíveis nos mercados internacionais, cotados em USD/ton, tiveram quedas generalizadas durante o mês de Dezembro (8,14%), relativamente a Novembro.

Assim, as cotações do butano, da gasolina e do Jet A1 diminuíram em 11,65%, 6,73% e 5,99% respectivamente, enquanto o gasóleo ULSD 1 e o fuelóleo 0,5% tiveram quedas de 8,26% e 8,10%, respectivamente.

A evolução dos preços dos produtos petrolíferos no mercado internacional, de acordo com a justificação da ARME, determinou um decréscimo dos preços de venda dos combustíveis no mercado nacional, descida que foi suavizada com a depreciação do Euro.

Os novos preços máximos dos combustíveis devem entrar em vigor a partir das 00H00 do dia 1º de Janeiro de 2022, ao abrigo dos dispostos na lei em vigor e, nos termos do Decreto-Lei nº 19/2009, de 22 de Julho que estabelece os princípios orientadores e a fórmula de cálculo dos preços máximos de venda para o consumidor final.

SR/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos