Combate à corrupção faz parte da agenda política do MPLA – vice-presidente

Cidade da Praia, 30 Jan (Inforpress) – A vice-presidente do MPLA disse hoje que a corrupção é um tema faz parte da agenda política do partido que foi aprovado no programa do Governo e que está a ser liderado com “coragem e determinação” pelo presidente João Lourenço.

Luísa Damião Santos, que se encontra em Cabo Verde a convite do PAICV para participar no XVI congresso deste partido, fez estas declarações após reunir-se esta tarde, com a presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Janira Hopffer Almada.

“Durante o nosso encontro tratamos de várias questões ligadas aos nossos partidos e nossos países. Abordamos a questão da corrupção, que é o tema que está na agenda política do MPLA e que foi aprovado no programa do Governo e está a ser liderado, com coragem e determinação pelo presidente João Lourenço”, disse.

Conforme Luísa Damião Santos, as boas práticas e boa governação são instrumentos que devem caracterizar os dois países, pelo que durante a conversa com a líder do PAICV afirmou terem trocados impressões sobre a questão e as más praticas que devem ser banidas.

No que respeita a corrupção, realçou que o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) tem estado a levar a cabo acções de combate e tendo sempre presente que se trata de uma acção a que o Governo deve contar com o apoio de todos em Angola.

“Esta é uma prova, evidente, que o nosso programa está a ser colocado em marcha e que em Angola existe o poder legislativo, executivo e judicial. No âmbito de separação de poderes, o poder judicial está a fazer o seu papel no combate a corrupção”, acrescentou.

A dirigente do MPLA, que falava à imprensa, quando questionada sobre a existência de perseguição politica ou justiça selectiva como aponta algumas vozes em Angola, garantiu não haver perseguição política e nem justiça selectiva.

Segundo ela, a prática está mostrando todos os dias, que Angola e o seu Governo estão a combater vários focos de corrupção não só na pirâmide como na base.

Questionada quanto a informações passadas por alguns jornalistas de que este combate está a criar mal-estar no seio do MPLA, Luísa Damião Santos, disse não ser verídica tal afirmação.

“O programa de combate de corrupção foi aprovado pelo MPLA porque se deu conta de que havia males a combater. Aliás, o lema do partido neste momento é ‘Melhorar o que está bem e corrigir o que está mal’ e a corrupção é um dos erros que queremos combater”, reafirmou.

A vice-presidente do MPLA encontra-se em Cabo Verde para participar no XVI congresso do PAICV, um partido que, segundo a mesma, têm relações históricas e profundas.

A presença do MPLA neste congresso, justificou, Luísa Damião Santos é uma “prova evidente” de que o partido quer continuar a cultivar e profunda as relações de trabalho e amizade com PAICV.

PC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos