Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Colmeia defende criação de oportunidades para indivíduos que têm espectro de perturbação do autismo

Cidade da Praia, 02 Abr (Inforpress) – A presidente da Associação Colemia, Isabel Moniz, defendeu hoje na Cidade da Praia a necessidade da criação de oportunidades para indivíduos que têm espectro de perturbação do autismo que vão de acordo com as suas necessidades.

Isabel Moniz fez estas declarações à imprensa, à margem de uma actividade de sensibilização e informação para um público-alvo alargado de pais, técnicos de saúde, professores, estudantes e representantes de instituições sobre o autismo, organizada pela Associação de Pais e Amigos de Crianças e Jovens com Necessidades Especiais (COLMEIA), em parceria com a Presidência da República.

O evento, que aconteceu no Palácio da Presidência da República, serviu ainda como um espaço de entretenimento sensorial estimulador para as crianças e adolescentes.

Conforme defendeu aquela fonte, a supracitada actividade, que aconteceu no âmbito do dia Mundial da Conscientização do Autismo, que se celebra no dia 02 de Abril, teve o objectivo de chamar a atenção para a questão da oportunidade que se deve dar aos indivíduos que têm espectro de perturbação do autismo e não só.

Tudo isto passa, conforme afirmou Isabel Moniz, pela criação de condições de ensino e aprendizado que vão ao encontro às suas necessidades, como as terapias que têm a ver com a área da saúde.

Aquela responsável associativa apontou ainda as comparticipações a nível da protecção social que, neste momento, disse, ainda não há cobertura legal a nível da providência social das terapias.

“Essas actividades, essas sensibilizações têm esses objectivos de mostrar ao mundo que devemos trabalhar no sentido de haver resposta para que haja realmente oportunidade, mas também dar uma informação à população do que é que se trata”, acrescentou.

A mesma fonte advogou igualmente que deve haver convivência, que a deficiência não pega e que a discriminação está na cabeça das pessoas e não está na pessoa que tem uma deficiência. “É mostrar ao mundo que nós devemos trabalhar todos, sem discriminação, para dar oportunidades”, pontuou.

O Dia Mundial de Conscientização do Autismo foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 18 de Dezembro de 2007, com o intuito de alertar as sociedades e governantes sobre esta doença, ajudando a derrubar preconceitos e esclarecer a todos.

A data visa ajudar a conscientizar a população mundial sobre o autismo, um transtorno no desenvolvimento do cérebro que afecta cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo.

O autismo pertence a um grupo de doenças do desenvolvimento cerebral, conhecido por “Transtornos de Espectro Autista (TEA) ”.

Os sintomas do autismo são fobias, agressividade, dificuldades de aprendizagem, dificuldades de relacionamento, por exemplo. No entanto, vale ressaltar que o autismo é único para cada pessoa. Existem vários níveis diferentes de autismo, até mesmo pessoas que apresentam o transtorno, mas sem nenhum tipo de atraso mental.

GSF/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos