Cobrança de direitos autorais na música ainda não é aplicável à realidade do País” – coordenadora da Rádio Comercial

Cidade da Praia, 13 Fev (Inforpress) – A coordenadora da Rádio Comercial enalteceu a iniciativa da Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM) sobre a cobrança de direitos autorais na música, mas considerou que poderá não ser implementada por “falta de condições financeiras” das rádios privadas.

Segundo Angélica Vaz, a sustentabilidade financeira continua a ser “o maior constrangimento” dos vários órgãos da comunicação social em Cabo Verde, tendo neste sentido realçado que a Rádio Comercial, enquanto órgão privado, não conseguiria cumprir este desafio.

Isto porque, ajuntou, a situação da referida emissão  “tem-se complicado a cada dia” devido à falta de meios humanos e financeiros para a materialização dos seus projectos e conseguir dar respostas aos desafios actuais.

“Acho que para aplicar uma lei do género primeiro tem que se promover encontros com emissoras radiofónicas para conhecer melhor a realidade das rádios privadas em Cabo Verde”, precisou a mesma fonte, para quem é preciso primeiramente fazer um estudo antes de se implementar medidas porque Rádio Comercial, por exemplo, “não tem condições para pagar pela música”.

Neste sentido,  defendeu que impor que as rádios passem a pagar pela música que usam na sua programação, na actual conjectura, é uma medida que revela “o total  desconhecimento” da capacidade de sustentabilidade das emissoras.

“Valorizamos os artistas, achamos que é uma excelente iniciativa mas será que os próprios artistas conhecem as dificuldades das nossas rádios”, questionou, lembrando que quando uma emissora toca as músicas na sua programação está também “a promover o artista”.

Recentemente a SCM anunciou que a partir de 2019 as rádios e televisões vão passar a pagar pela música usada nas suas programações.

Segundo a presidente da SCM, Solange Cesarovna, o entendimento é que todos os usuários da propriedade intelectual, neste caso a música, são convidados a regularizar a situação de utilização da música nas suas estações.

As rádios e as televisões são usuárias desses conteúdos e segundo considerou, na ocasião, “é bem claro de que sem esses conteúdos talvez a própria programação dos referidos órgãos não existiria afirmando que é vital ter a parte da musica”.

CM/AA
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos