Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

CNU cria Comité Nacional Memória do Mundo para preservação da documentação

Cidade da Praia, 02 Out (Inforpress) – A Comissão Nacional de Cabo Verde para a UNESCO (CNU) lançou hoje, na Cidade da Praia, o Comité Nacional Memória do Mundo, para a preservação da documentação.

A informação foi transmitida à imprensa pela secretária-executivo da CNU, Carla Palavra, à margem da abertura da conversa aberta sobre “As vantagens de ter garantias constitucionais e/ou políticas de acesso público à informação”, realizada no âmbito do Dia Internacional do Acesso à Informação, que se celebrou a 28 de Setembro.

A responsável adiantou que esse Comité tem como objectivo, além da preservação da documentação, a submissão de dossiês ou documentos à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) que podem ser reconhecidos de valor universal.

Por outro lado, Carla Palavra informou que em relação à “conversa aberta” vão ser abordados temas sobre as vantagens e os benefícios da informação, a importância da protecção de dados e a literacia dos medias.

A secretária-executivo da CNU realçou a importação da informação no contexto da pandemia, considerado que a falta dela ou a desinformação pode-se correr o risco de reforçar comportamentos de risco.

“Estamos num contexto onde os meios formais não detêm a curadoria da informação, como era antigamente, portanto, estamos expostos à desinformação”, observou.

A 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas definiu 28 de Setembro como o Dia Internacional do Acesso Universal à Informação, reconhecendo o significado do acesso à informação para todos.

Este ano, a comemoração visa encorajar os Estados-membros a adoptarem e aplicarem plenamente legislação relativa ao direito de acesso à informação, demonstrando o seu valor único em tempos de crise, assim como compreenderem as vantagens de ter garantias constitucionais, políticas para o acesso público à informação como forma de salvar vidas.

DM/OM//CP
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos