Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

CNDHC quer que personalidades e instituições do País concorram ao Prémio Nacional Direitos Humanos 2017

 

Cidade da Praia, 28 Set (Inforpress) – A presidente da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e Cidadania (CNDHC) disse hoje, esperar que a edição 2017 do Prémio Nacional Direitos Humanos tenha afluência de personalidades e instituições de todas as ilhas.

Segundo Zaida Morais de Freitas, a medida vai ajudar a CNDHC a ter uma noção real daquilo que se passa a nível de boas práticas sobre os direitos humanos e cidadania a nível nacional.

A presidente da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e Cidadania, que fala à imprensa no âmbito da abertura e lançamento do Prémio Nacional Direitos Humanos 2017, assegurou que o objectivo é reconhecer instituições personalidades que de alguma forma se destacaram ao longo dos últimos dois anos em acções, actividades, conduta e estudos relevantes para a promoção e defesa dos direitos humanos e identificação da cidadania em Cabo Verde.

Para a responsável, trata-se de uma condecoração simbólica que pretende reforçar as boas práticas a nível de promoção e protecção dos direitos humanos, sendo que, muitas das vezes, os direitos humanos são conotados a situações de violência.

No seu ponto de vista, existem entidades que desempenham excelentes trabalhos e que podem ser exemplos.

Adiantou que a edição deste ano conta com cinco categorias, nomeadamente, personalidades, ONG, associações comunitárias, combate à violência e promoção da cultura da paz, e estudo cientifico, e podem concorrem personalidades e entidades nacional e na diáspora que tenham realizado um trabalho que reporta a realidade dos direitos humanos em Cabo Verde.

Na ocasião, Zenaida Morais agradeceu as entidades que colaboraram com atribuição deste prémio, e apelou a uma maior participação de outras empresas no sentido de darem o seu contributo uma vez que se trata de um gesto que demonstra o interesse e o engajamento com a causa dos direitos humanos e cidadania.

“Os prémios serão atribuídos na sessão solene que irá acontecer a 10 de Dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, onde os galardoados irão receber a quantia de 250 mil escudos, uma escultura da pomba crioula e um diploma”, disse sublinhando que está prevista também a atribuição de uma menção honrosa.

Os interessados podem apresentar as candidaturas na sede da comissão de 28 de Setembro a 12 de Novembro.

Realizado pela CNDHC, a iniciativa conta com o apoio das Nações Unidas, ENAPOR, gabinete do primeiro-ministro, ministério da Saúde e Segurança Social, da Educação e da Justiça e Trabalho.

AV/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos