CISAC insta governos a intensificar acção para salvaguardar protecção dos direitos autorais

Cidade da Praia, 02 Jun (Inforpress)  – A assembleia-geral da Confederação Internacional de Sociedades de Autores e Compositores (CISAC) instou hoje, em Varsóvia (Polónia), os governos dos países integrantes a intensificar a acção na ajuda aos criadores para a protecção dos direitos autorais.

Nesta reunião anual da principal rede mundial de sociedade de autores e compositores, na qual Cabo Verde está representado pela presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM), Solange Cesarovna, o presidente da CISAC exortou as entidades governamentais a criar um “panorama digital mais justo” neste século XXI.

Jean-Michel Jarre foi um dos participantes deste colóquio que envolveu mais de 200 autores e seus representantes, que teve como principal ponto da agenda a sua campanha “globalmente coordenada com os parceiros em todo o mundo” por direitos mais fortes e mais justos para os autores e compositores.

Segundo uma nota de imprensa da SCM enviada à Inforpress, Jean-Michel Jarre, músico francês, um dos fundadores da Confederação em 1926, foi acolhido pela Sociedade Polonesa de Autores e Compositores ZAiKs, que comemora o seu 100º aniversário neste ano.

Esta assembleia-geral coincidiu com o lançamento do relatório anual de 2018 da CISAC, que fornece uma “visão abrangente de sua luta pelos direitos autorais” em todo o mundo e promete estar disponível para download em www.cisac.org em inglês, francês e espanhol.

Enquanto isto, o diretor-geral da CISAC, Gadi Oron, disse que a organização está a “planear o futuro neste momento de grande oportunidade para autores e sociedades de autores, mas também de um momento de incerteza”, alegando que “no mundo digital, a criatividade nunca foi tão prolífera como agora”.

Para milhões de autores e compositores, lê-se na nota, “o mercado simplesmente não está a funcionar da maneira que poderia e deveria”, razão pela qual pede “ajuda dos governos e dos legisladores para construir uma paisagem do século XXI que traga recompensas mais justas para os milhões de autores cuja subsistência depende de suas obras criativas. ”

“Após 84 anos, estamos muito felizes em receber a CISAC novamente e de ter a oportunidade de conceder a afiliação honorária da ZAiKS ao excepcional autor e presidente da CISAC, Jean-Michel Jarre, no nosso 100º aniversário”, afirmou Janusz Fogler, para quem esta distinção foi concedida pela primeira vez em tempos pré-guerra, é até hoje a maior honra concedida pela organização.

A CISAC trabalha para a protecção e promoção dos direitos e interesses dos autores e das sociedades de autores em todas as regiões do mundo e de todos os campos artísticos e  conta com 239 sociedades de autores em representação de  121 países.

As receitas das jóias dessas sociedades cresceram 6% em 2016 para € 9,2 bilhões, proporciona uma renda a mais de 4 milhões de autores e criadores de todas as áreas de criação, designadamente música, audiovisual, teatro, literatura e artes visuais.

No entanto, considera o documento da CISAC que “as obras de autores em todo o mundo estão sendo amplamente desvalorizadas e seus criadores injustamente remunerados” por causa “de uma combinação entre utilizadores, desde emissoras a empresas de tecnologia, e uma fraca legislação em muitos países.

O encontro de Varsóvia focou em quatro campanhas principais da CISAC, nomeadamente a fixação da “a transferência de valores” no mercado digital,  a busca de direitos mais justos para autores audiovisuais,  o direito de revenda internacional para artistas visuais e a promoção de taxas de cópia privada.

SR/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos