Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cimeira CPLP: A fome é um problema equacionado e localizado e sabemos o que fazer para combatê-la – director FAO

Santa Maria-ilha do Sal, 16 Jul (Inforpress) – O director-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva afirmou hoje na ilha do Sal, que “a fome hoje é um problema equacionado e localizado” e sabe-se o que fazer para a sua erradicação.

Graziano da Silva fez essas considerações durante os trabalhos da II Reunião Ordinária do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSAN), que decorrem à margem da Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que arranca esta terça-feira na ilha do Sal.

“Nós temos as políticas que foram muito bem-sucedidas em países, por exemplo, como o Brasil. A fome hoje, é um problema, em certo sentido, equacionado e localizado e sabemos o que fazer para combate-la”, renovou, acrescentando, entretanto, que simultaneamente à fome, está-se a enfrentar um outro problema que tem a ver com a obesidade, o qual, disse, “não está” equacionado.

“Obesidade hoje é uma epidemia global. O mundo tem hoje dois milhões de pessoas com sobrepeso e 700 mil obesas, o que tem resultado num aumento exponencial nos custos com a saúde para combater enfermidades decorrente da obesidade, tipo diabetes, cardiovasculares e tantas outras”, apontou.

Graziano da Silva explica que a razão fundamental da problemática tem a ver com o consumo excessivo de alimentos processados, ricos em óleo saturado, frituras, sal e açúcar, os “grandes” factores por trás dessa epidemia de obesidade que assola o mundo todo.

“A receita também nós sabemos. É ter uma dieta mais saudável, que implica consumir mais produtos frescos, principalmente frutas e verduras”, aconselhou, advertindo que a comunidade tem poucas políticas efectivas para o combate da obesidade.

“A FAO recomenda, fortemente, que os países da CPLP busquem, urgentemente, directrizes para o combate do sobrepeso e obesidade. Até porque, todos os nossos países, infelizmente, estão nessa lista de países que têm uma verdadeira epidemia de obesidade, afectando, sobretudo, crianças e mulheres”, alvitrou.

A Cimeira dos Chefes de Estado e do Governo da CPLP que arranca esta terça-feira está a ser precedida de vários encontros técnicos e multilaterais com temas diversos.

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) é integrada por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

É a segunda vez que Cabo Verde acolhe a reunião de Chefes de Estado da CPLP, tendo a primeira sido realizada em Julho de 1998.

Para além dos membros, a organização tem como observadores associados países como a Geórgia, a Hungria, o Japão, a República Checa, a República Eslovaca, a República das Maurícias, a República da Namíbia, a República do Senegal, a República da Turquia e o Uruguai.

SC/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos