Cidade da Praia: Promotores da marcha pela Bangala Branca ficam frustrados dado à fraca adesão

 

Cidade da Praia, 13 Out (Inforpress) – Cerca de três dezenas de pessoas portadoras de deficiência visual marcharam hoje na Cidade da Praia, apelando a atenção dos cidadãos pela importância da “Bengala Branca” na movimentação dos cegos, mas os promotores ficaram frustrados dado à fraca adesão.

O evento que tinha como objectivo sensibilizar a sociedade praiense, deixou os organizadores um pouco “frustrados”, pois, as pessoas convidadas a participar, incluindo governantes, não apareceram.

“Nós queríamos mostrar às pessoas que a Bengala Branca é um símbolo de independência, liberdade e confiança, pois, a sua utilização permite ao deficiente visual se movimentar livremente, dentro dos condicionalismos existentes na cidade e não só”, explicou o presidente da ADEVIC, Marciano Monteiro.

Para além desta, o presidente da Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde adiantou que a intenção é chamar a atenção pelos problemas que um invisual enfrenta no seu dia-a-dia e pelos constrangimentos que defronta.

Com esta marcha queremos que entidades competentes na matéria criem condições para que pessoas com deficiência visual tenham a sua mobilidade, em termos de oportunidade, igual às outras pessoas.

Ely dos Santos, uma das participantes da iniciativa de esta sexta-feira, referiu que a data é um dia que se reveste de muita importância para pessoas invisuais, porque graças à aprendizagem podem utilizar uma bengala branca para se movimentarem nas ruas e fazer tudo o que uma pessoa normal faz.

Entretanto, a ADEVIC assinou hoje um protocolo de parceria com a autarquia do Tarrafal de Santiago visando ajudar as pessoas com deficiência visual que residem naquele município.

Segundo Marciano Monteiro, este é o primeiro de muitos outros que vão ser assinados com outras autarquias do país.

No âmbito da comemoração do Dia da Bengala, que se assinala este domingo, 15, a associação promove no mesmo dia, um convívio desportivo, no estádio municipal de Achada São Filipe, com provas de atletismo para pessoas com deficiência visual, jogos de Golboal entre pessoas com deficiência motora e sem deficiência visual e uma partida de futebol entre os agentes da Esquadra Policial de São Filipe e os Amigos de Djonga.

Para segunda-feira, 16, está previsto a realização de um evento cultural, assinatura de um protocolo com a CVtelecom e uma palestra subordinada ao tema “Barreiras encontradas pelas pessoas com deficiência visual, no exercício dos seus direitos de voto”.

A bengala branca é um instrumento de acessibilidade utilizado por invisuais e que foi usado por James Biggs, fotógrafo de Bristol, em Inglaterra, que ficou cego depois de um acidente.

Em 1930, George Benham, presidente do Lion’s Club do Estado de Illinois, Estados Unidos, providenciou no sentido de serem usadas bengalas brancas com extremidade inferior vermelha, para identificar seu portador, suscitar eventuais ajudas pelos pedestres videntes e alertar os condutores de veículos.

PC/FP

Inforpress/fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos