Chuvas/Santiago Norte: Estradas de Chã de Tanque e Banana Semedo (Santa Catarina) continuam cortadas – responsável

Assomada, 14 Set (Inforpress) – As estradas de Santiago Norte com excepção das de Chã de Tanque e Banana Semedo em Santa Catarina, estão “todas transitáveis”, despois de algumas terem sido cortadas entre sábado e domingo, devido às fortes chuvas registadas na região.

A informação foi avançada hoje à Inforpress pelo comandante regional da Protecção Civil e Bombeiros de Santiago Norte, Amaro Varela, garantindo que as vias de Rocha Lama (Santa Cruz), Fundura/Serra Malagueta, Fonte Lima, Junco e Ribeira da Barca que ficaram cortadas no sábado devido a enxurradas, queda de pedras, lamas e lixos já foram desobstruídas.

“A estrada de Chã de Tanque, no sábado, já tinha sido feita a limpeza e a circulação foi reestabelecida, mas, no entanto, com as chuvas de ontem [domingo] voltou a ficar cortada até um certo ponto. A localidade de Banana Semedo também tem estrada cortada”, relatou aquele responsável em jeito de balanço da queda das chuvas no fim-de-semana.

Entretanto, garantiu que as autoridades vão estar hoje no terreno para prosseguirem com a limpeza nas duas estradas e fazer o possível para desobstruí-las ainda esta segunda-feira.

Ainda sobre cortes de estradas, a mesma fonte informou que em São Salvador do Mundo uma via ficou cortada, este domingo, por causa da queda de uma parte do muro de protecção na localidade de Chão Rodrigues, mas, que a mesma foi reaberta no mesmo dia, após a limpeza realizada em parceria com a Estradas de Cabo Verde (ECV).

Em Santa Catarina, além de cortes de estradas, o responsável lembrou que as chuvas provocaram ainda alagamento em duas habitações no bairro de Cumbém (Assomada), e em uma garagem no centro da cidade de Assomada, e em algumas habitações e espaços comerciais na localidade de Ribeira da Barca.

Na vila piscatória de Ribeira da Barca – onde foi registado maior estrago, no sábado -, além da queda de pedra e lixo nas estradas, Amaro Varela fez saber que a localidade ficou “completamente condicionada” devido à grande quantidade de enxurrada, que provocou algumas fissuras na ponte e fez ceder parte do parque infantil, nas recém-inauguradas obras de requalificação da orla marítima.

Registaram-se ainda queda de parte do muro de protecção na localidade de Lém Rocha.

A propósito da ponte, cuja população desde a primeira hora questionou sua “qualidade”, o entrevistado da Inforpress aconselhou os residentes a optarem pela ribeira após as cheias e para evitarem passar por cima da mesma, tendo em conta que a qualquer momento a estrutura pode “ceder completamente”.

“Aconselhamos a população a evitar a travessia por cima da ponte, e para fazerem-na pela ribeira caso não tiver grande quantidade de água corrente que permita fazer uma travessia segura”, recomendou.

As obras de requalificação urbana e ambiental da localidade de Chão Rodrigues, inauguradas em Novembro de 2019, foram co-financiadas pelo Governo, através do Fundo do Turismo e no âmbito do Programa de Reabilitação, Requalificação e Acessibilidades (PRRA) e pela Câmara Municipal de São Salvador do Mundo, num montante de 16 mil contos.

Trata-se de uma obra que alberga todo o espaço circundante à escola local, contemplou protecção de muros e calcetamento da estrada, um ‘fitness’ parque para a prática de actividade física e de lazer, bem como a construção de um caminho vicinal que liga a estrada principal – escola.

Já as obras de requalificação da orla marítima da vila piscatória de Ribeira da Barca, que vai desde a zona de Lém Rocha ao polivalente local, contemplou equipamentos desportivos, nomeadamente fitness, parque infantil, duas passagens aéreas para facilitar a circulação de pessoas e viaturas na época das chuvas.

O projecto, também inaugurado em Novembro de 2019 e que inicialmente estava orçado em 17 mil contos, financiados no âmbito do Fundo do Turismo, conforme informações avançadas pelo executivo camarário, devido às alterações feitas ultrapassaram os 27 mil contos.

Tendo em conta que, segundo ele, a chuva vai continuar nos próximos dias, aconselhou a população de Santiago Norte a adoptar as medidas de auto-protecção da época das chuvas e fazer inspecção das moradias e abandonar a casa se detectado tecto em “perigo iminente” de cair.

O comandante regional da Protecção Civil e Bombeiros de Santiago Norte recomendou ainda a limpeza das bordas e arredores das casas, visando o escoamento de água e evitar aglomeração de pessoa, isto porque, lembrou, ainda se está em tempo da pandemia de covid-19.

Não obstante, os estragos, a chuva trouxe alegria aos homens do campo da região Santiago Norte, que perspectivam “um bom ano agrícola”, caso haja queda de mais precipitações.

As chuvas fortes registadas durante o fim-de-semana também levaram água até as barragens da região, sobretudo à de Poilão (São Lourenço dos Órgãos) que estava completamente seca.

A região conta com mais cinco barragens, nomeadamente a de Faveta (São Salvador do Mundo) Figueira Gorda (Santa Cruz), Saquinho (Santa Catarina), Flamengos e Ribeira Principal (São Miguel).

A Inforpress tentou uma reacção junto da Câmara Municipal de Santa Catarina a propósito da ponte de Ribeira da Barca, mas, sem sucesso. Já a autarquia salvadorenha reúne-se esta manhã e vai fazer um pronunciamento sobre a queda da parte do muro de protecção em Chão Rodrigues às 11:00.

FM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos