Chumbo do Estatuto Especial da Praia foi uma “violência enorme” para a capital do País – presidente da ANMCV

Cidade da Praia, 11 Jul (Inforpress) – O presidente da Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde (ANMCV), Manuel de Pina, considerou hoje que a não aprovação do Estatuto Especial da Praia foi uma “violência enorme” para a capital do País.

Em declaração à Inforpress, reagindo ao chumbo da proposta de lei que regula o Estatuto Administrativo Especial da Capital de Cabo Verde sexta-feira, no Parlamento, Manuel de Pina observou que este facto não vai tirar à Cidade da Praia o seu “brilho” e caminho rumo ao desenvolvimento”.

“Houve uma grande violência em relação à Praia e os deputados que votaram contra falharam redondamente”, observou.

Mesmo assim, indicou que Cidade da Praia vai continuar a lutar para o ser desenvolvimento e para melhorar a situação de todas as pessoas que acolhe, ”sendo certo, que é um caminho cada vez mais distante porque continua a persistir a pressão sobre a cidade Capital de Cabo Verde”.

O autarca defendeu, contudo, que a Cidade da Praia “por carregar quase todo o país e com uma pressão permanente que acarreta por receber pessoas de todas as ilhas”, deveria ter um Estatuto Especial.

A proposta de lei que regula o Estatuto Administrativo Especial da Capital de Cabo Verde não passou na sexta-feira, no Parlamento, tendo recebido votos contra e a favor tanto dos deputados da oposição como dos que sustentam o Governo.

A proposta de lei teve 39 votos a favor na generalidade, sendo 35 do Movimento para a democracia (MpD, poder) e quatro do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), que também votou 21 abstenções.

Seis deputados votaram contra a proposta, sendo os três da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID, oposição), dois do PAICV e um do MpD.

OM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos