Chefe de Estado sugere aceleração do processo de aproveitamento das energias renováveis no País

Cidade da Praia, 15 Nov (Inforpress) – O Presidente da República, José Maria Neves, advogou hoje, na Cidade da Praia, a necessidade de aceleração do processo de aproveitamento das energias renováveis em Cabo Verde, justificando que o arquipélago tem enormes potencialidades.

O Chefe de Estado assinalou ainda que o investimento nas energias renováveis deve ser uma prioridade, tendo apontado, igualmente, a importância de trabalhar num Cabo Verde livre de energias fósseis.

José Maria Neves falava à imprensa no âmbito das visitas ao Liceu Pedro Gomes e de um encontro com as direcções de todos os liceus da Praia, visita ao Projecto Sistema Solar em Ponta d ‘Água que beneficia Escola e dois campos, e ao Centro de Dia de Castelão.

“Eu acho que nesta área das energias renováveis devemos acelerar o passo, ir mais depressa, porque temos enormes potencialidades, e com mais energias limpas estaremos a matar vários coelhos com uma só cajadada”, frisou José Maria Neves.

Acelerando o processo de aproveitamento das energias renováveis no arquipélago, precisou, irá contribuir primeiramente na redução da emissão de gases, segundo o País terá muito mais eficiência energética, com menos custos, reduzindo assim o preço da eletricidade e água, que são muito elevados, acrescentou.

Com isto, sustentou o Presidente da República, haverá melhorias no rendimento das famílias.

“Aqui, o investimento nas energias renováveis é uma prioridade, temos de construir um país livre de energias fósseis e é importante o investimento que podemos fazer neste domínio”, enfatizou o Chefe da Nação cabo-verdiana.

O Governo tem como meta atingir 50% da produção de electricidade a partir de energias renováveis até 2030, mas recentemente, segundo o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, citado pela Lusa, Cabo Verde prevê antecipar esta meta, face aos novos projectos em curso.

“A transição energética será acelerada. Cerca de 40 MegaWatts de nova capacidade solar e eólica serão concluídos em 2023”, afirmou Ulisses Correia e Silva, na abertura do debate no parlamento, na generalidade, da proposta do Orçamento do Estado para o próximo ano.

TC/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos