Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Chefe de Estado destaca papel do professor na construção de num país livre, justo e competitivo

Cidade da Praia, 23 Abr (Inforpress) – O Presidente da República destacou hoje a importância da profissão do professor no país e formulou votos para “um ensino de qualidade e exigência crescentes, enquanto base de um desenvolvimento autêntico para um país livre, competitivo e justo”.

“Fazemos votos para que essa importância seja cada vez mais reforçada e alargada num mundo que clama, cada vez mais, pela passagem de valores, de princípios e de um ensino que mantenha o espírito das humanidades, que são a base para a formação do carácter e do espírito livre”, referiu Jorge Carlos Fonseca.

Nesta sua mensagem alusiva ao “Dia do Professor Cabo-verdiano”, que se celebra anualmente a 23 de Abril, Jorge Carlos Fonseca assinalou o “empenho e a dedicação” e destacou “o meritório e valioso trabalho que toda a classe abraçou e vem desenvolvendo neste ano de pandemia, que trocou rotinas e hábitos estabelecidos na nossa sociedade”.

“Nunca a sua profissão foi tão importante como agora, nunca dependemos tanto desta classe de homens e mulheres como neste último ano, nunca as nossas crianças mereceram tanto a sua atenção e cuidados como actualmente”, lê-se na missiva do Chefe de Estado, que enalte a forma como as escolas mobilizaram o seu corpo docente e funcionários na busca das melhores soluções.

O mais alto magistrado da Nação recorreu ao passado para recordar que após a independência nacional “o país pôde contar com a experiência de dezenas, centenas de professores, que garantiram o arranque de Cabo Verde como Estado soberano”, formação dos primeiros alunos, lançando as bases para um ensino voltado para os novos desafios.

“Novos professores, entretanto, foram formados à medida que as escolas eram construídas em todas as ilhas e o ensino se democratizava e se expandia em todos os concelhos e localidades. Já neste século XXI dobrámos a meta do ensino superior e garantimos aos nossos jovens uma opção nacional e mais tangível”, realçou.

“Neste ano em que atravessamos uma tormenta sanitária mundial, venho expressando a minha solidariedade e reconhecimento às várias organizações e classes profissionais da sociedade cabo-verdiana – em especial àqueles que estão na linha da frente –, pelo esforço que todos, na sua área específica, desenvolvem para que Cabo Verde consiga sair o mais rapidamente possível e com o mínimo de danos, desta pandemia da covid-19.

Manifestou o seu “apreço especial a esta classe que a todos ensina”, de políticos aos engenheiros, advogados, aos médicos, enfermeiros, técnicos variados, aos balconistas, funcionários, mecânicos, electricistas, motoristas… que descobriram a magia do conhecimento na voz de um professor ou de uma professora.

“Sabemos como nas sociedades mais evoluídas do mundo actual, o professor tem um lugar de destaque, quer nas condições de trabalho, mas sobretudo na remuneração. Já tal acontecia na Antiguidade, reservando-se-lhe uma palma de prestígio e reconhecimento”, frisou.

SR/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos