Chefe de Estado considera “importante” a socialização das boas práticas do olimpismo à sociedade cabo-verdiana

Cidade da Praia, 15 Nov (Inforpress) – O Presidente da República destacou hoje a importância da evolução do olimpismo cabo-verdiano desde os primórdios da sua criação com Antero Barros, 1989, até a presente data e considerou “importante” socializar as boas práticas à sociedade cabo-verdiana.

José Maria Neves, que visitou esta tarde a sede do Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), na Cidade da Praia, onde reuniu-se com os responsáveis da instituição olímpica e com os dirigentes das federações filiadas, disse que “a sociedade cabo-verdiana precisa como de pão para a boca destas boas práticas”.

Referiu que o “Prémio de Boa Governança” atribuído pelo Comité Olímpico Internacional ao COC demonstra a sustentabilidade e a durabilidade do desenvolvimento, tendo ressalvado que o desporto tem estado a dar um contributo importante para a promoção do país.

Para o chefe do Estado, numa sociedade muito intensa, marcada pela precariedade de equilíbrios, o desporto permite reduzir esta tensão e libertar energias para uma melhor tolerância, em todas as fissuras da sociedade, mediante criação de espaços de convivência e ocupação de tempos livres, com reflexos directos na redução de violências.

Num país sem recursos como Cabo Verde, afirmou o Presidente da República, o desporto afigura-se como um “factor catalisador” para que o cabo-verdiano seja destaque para poder ser notado por este mundo fora.

Daí, incentivou o COC a continuar a fazer “este trabalho de melhorar cada vez mais a performance do país, para melhorar permanentemente o desempenho”.

José Maria Neves, que vai ser o primeiro Presidente da República cabo-verdiana a integrar a delegação crioula numa edição dos Jogos Olímpicos, Paris’2024, asseverou que Cabo Verde pode compensar a falta de recursos naturais tradicionais com a sua capacidade criativa, razão pela qual enalteceu o investimento na “riquíssima Diáspora”, em todos os domínios.

“O desporto, nas diferentes modalidades, tem-nos mostrado caminho. A selecção de futebol, várias modalidades têm-nos mobilizado atletas na Diáspora para representarem Cabo Verde. Neste momento, a grande reivindicação dos cabo-verdianos na Diáspora é o passaporte cabo-verdiano, querem ser cabo-verdiano e representar a bandeira de Cabo Verde”, assegurou.

Desta visita ao COC, o chefe do Estado inteirou-se do funcionamento e projectos em curso, tendo afirmado que o desporto e o COC estão a mostrar os caminhos para a construção de uma nação global cabo-verdiana.

Nesta que foi a segunda visita de um Presidente da República a “Casa do Olimpismo”, sendo a primeira efectuada pelo então chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca, a presidente do COC, Filomena Fortes, realçou a importância que o desporto poderá desenvolver na vida das pessoas, enquanto um factor catalisador em todas as áreas.

“É transversal a todas as outras áreas, como a saúde, a cidadania, o ambiente”, finalizou Filomena Fortes.

SR/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos