Cerca de 33 mil crianças já foram vacinadas contra sarampo e rubéola, mas autoridades reforçam apelo à adesão

Cidade da Praia, 12 Nov (Inforpress) – Cerca de 33 mil crianças já foram vacinadas no País, o equivalente a 73% da meta das 45 mil previstas para a final da campanha de vacinação contra a sarampo e rubéola que decorre em todo o território nacional de 07 a 13 de Novembro.

O balanço a meio percurso foi feito na manhã de hoje pelo director nacional da Saúde, Artur Correia, e que aproveitou para reforçar o apelo aos pais no sentido de levarem as suas crianças para a vacinação nos postos fixos e móveis estabelecidos nas diversas localidades dos municípios.

Artur Correia lembrou que Cabo Verde tem atingido sempre a cobertura de 95% da vacinação em campanhas anteriores, o que denota que de ano para ano tem havido acumulação de susceptíveis. Daí esse reforço para a mitigação dos efeitos dessa acumulação de susceptíveis ao longo dos anos.

“Cabo Verde abraçou a estratégia regional de eliminação do sarampo e da rubéola no horizonte de 2020 e isso só será possível se para além daquilo que fazemos rotineiramente com a vacinação das crianças, se regulamente fazermos reforço dessa vacinação rotineira”, disse.

A meta é vacinar 45 mil crianças durante esta campanha iniciada no dia 07 de Novembro e que termina no dia 13. Até este momento já foram vacinadas cerca de 33 mil crianças, representando uma taxa de cobertura, até este domingo, superior a 73%.

Em algumas ilhas como São Nicolau e Boa Vista a taxa já está acima dos 90%.

O problema maior está no município da Praia cuja taxa de cobertura estava até domingo nos 53%. As localidades de Ponta d’Agua e Fazenda são as zonas onde as dificuldades têm sido maiores.

O director nacional da Saúde espera que, entre hoje e terça-feira, se possa colmatar essas dificuldades por forma atingir o número máximo de crianças.

“No geral temos uma cobertura superior a 70%, mas como faltam ainda hoje e manha (terça-feira) contamos com o apoio da comunicação social para reforçarmos as campanhas de sensibilização da população”, disse apelando aos pais que levem os seus filhos aos postos de vacinação nos centros de saúde e postos móveis nas escolas e jardins infantis.

O apelo de Artur Correia foi extensivo aos delegados de saúde e toda equipa de terreno no sentido de reforçarem as suas acçoes nesses dois últimos dias.

Em Cabo Verde, há cerca de 20 anos que não se registam casos de sarampo e há mais de 10 anos não se regista também nenhum caso de Rubéola.

MJB/FP

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos