Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cerca de 15 mil polícias e militares mexicanos na fronteira com EUA para travar migrantes

Cidade do México, 24 Jun (Inforpress) – O México deslocou cerca de 15.000 polícias e militares para a fronteira com os Estados Unidos no âmbito do acordo concluído com Washington para travar a imigração ilegal, anunciou hoje o ministro da Defesa, Luis Cresencio Sandoval.

“Entre a Guarda Nacional e membros do exército, existe um envio total de perto de 15.000 homens para o norte do país”, declarou o ministro durante uma conferência de imprensa na companhia do Presidente Andrés Manuel López Obrador.

Ao ser interrogado sobre a possibilidade de o exército e a Guarda nacional – que integra militares e polícias federais – não apenas intercetarem migrantes durante a sua travessia em território mexicano, mas também proceder à sua detenção quando tentarem atravessar a fronteira com os Estados Unidos, o ministro confirmou essa disposição.

“Considerando que a migração [clandestina] não é um crime, mas um delito administrativo, vamos detê-los e remetê-los à disposição das autoridades” migratórias, indicou o general Sandoval.

Uma foto divulgada pela agência noticiosa AFP no fim de semana junto à fronteira com os EUA suscitou uma vaga de críticas contra o Governo de Obrador.

O registo mostra duas mulheres, acompanhadas por uma rapariga, detidas por membros da Guarda nacional no momento em que se preparavam para atravessar o Rio Bravo, que separa Ciudad Juárez, no México, da cidade de El Paso, nos Estados Unidos.

As forças de segurança procedem regularmente a detenções de migrantes clandestinos em território mexicano, mas é raro que ocorram junto à fronteira com os EUA.

O ministro da Defesa mexicano também precisou que 6.500 homens foram deslocados para a fronteira sul com a Guatemala, para impedir a passagem de milhares de migrantes da América central que procuram alcançar os Estados Unidos, em fuga da miséria e da violência nos seus países.

No final de maio, o Presidente norte-americano Donald Trump ameaçou impor taxas alfandegárias sobre todos os produtos mexicanos importados para os EUA caso o México não adotasse medidas para travar a vaga de migrantes.

Em 07 de Junho os dois países anunciaram um acordo. Para além do envio de forças policiais e militares para as fronteiras do país, o México comprometeu-se a acelerar o regresso ao país de origem dos migrantes, e enquanto o seu pedido de asilo for teoricamente analisado nos Estados Unidos.

O primeiro balanço desta operação deverá ser estabelecido dentro de 45 dias.

Lusa/Inforpress

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos