Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

CENORF apela por parcerias para levar trabalho de inclusão social às outras ilhas   

Cidade da Praia, 03 Fev (Inforpress) – O Centro Nacional Ortopédico e de Reabilitação Física de Cabo Verde (CENORF) apelou hoje por mais parcerias para levar o trabalho da instituição a outras ilhas em prol da inclusão social das pessoas com deficiência.

O repto foi lançado pelo administrador do CENORF, Alberto Afonso, esta tarde, durante a inauguração das obras de remodelação e reabilitação do centro, presidida pelo ministro da Família e Inclusão Social, Fernando Elísio Freire, e pelo embaixador de Portugal em Cabo Verde, António Albuquerque Moniz.

“Precisamos de parceiros para levar CENORF às outras ilhas e concelhos, porque há tantas pessoas em Cabo Verde que precisam do trabalho que a instituição tem feito em prol da inclusão social das pessoas com deficiência”, referiu.

Para tal, defendeu que é necessário criar condições locais que permitam deslocação, ou seja, é preciso ter uma carrinha comercial com condições mínimas de uma oficina para fazer o trabalho em qualquer lugar.

“Já temos técnicos, depois tem a questão de alojamentos e transportes, Mas acreditamos que as câmaras municipais e nossos parceiros locais certamente vão aceitar as nossas propostas,  sendo que alguns já demonstraram o interesse em nos apoiar nessas deslocações”, mencionou o administrador,  que assegurou que este apoio vai contribuir para diminuir o custo de deslocação das pessoas de outras ilhas.

Alberto Afonso garantiu que neste momento já existe um projecto para aquisição de uma viatura e de todo o material necessário, mas sublinhou que para responder as demandas dos utentes será necessário aumentar o stock de material, que segundo o mesmo é importado.

“Não temos nada em Cabo Verde, o que compramos na Emprofac corresponde a 2% ou 3% do que é necessário para a produção dos aparelhos ortopédicos”, frisou.

Segundo o administrador, o centro presta serviço de fisioterapia e ortopedia e recebeu uma media de sete mil pessoas, dos dois meses aos 90 anos.

As obras de reabilitação do Centro Nacional Ortopédico e de Reabilitação Física de Cabo Verde estão orçadas em 5.500 contos e foram financiadas pela cooperação portuguesa.

AV/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos