Cegos/PALOP: Conferencista destaca importância das tecnologias assistivas para melhoria de qualidade de aprendizagem

 

Cidade da Praia, 22 Mai (Inforpress) – O presidente da Associação de Cegos e Ambíguos de Moçambique considerou, hoje, de “suma importância” que as pessoas cegas possam ter acesso às tecnologias assistivas para que possam interagir e melhorar a sua qualidade de aprendizagem e de conhecimento.

Sérgio Miguel da Conceição, que falava do tema “Evolução das novas tecnologias orientadas para os cegos e amblíopes”, no Encontro de Capacitação de Mulheres e Jovens com Deficiência Visual dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), a decorrer na Cidade da Praia, referia-se aos benefícios que estes instrumentos trariam para a inclusão da pessoa cega.

“Estes recursos, como o caso dos computadores existentes no mercado providos de programas específicos e sintetizadores de voz que permitem a leitura de informações exibidas no monitor, irão suprimir lacunas de aprendizagem e possibilitar a independência, pelo auxílio que possam dar nas tarefas cotidianas”, disse.

Hoje, numa era em que a digital oferece novas tecnologias de assistência, muitas baseadas em eletrónica e computação, os governos devem, segundo Sérgio da Conceição em declarações à Inforpress, dar oportunidade de formação e aprendizagem para que as pessoas cegas possam ser autônomas e auto-suficientes.

Neste âmbito, chama a atenção dos governos dos PALOP no sentido de investirem nas tecnologias voltadas para os cegos e na formação, pois, sublinha, como qualquer outra técnica, as pessoas precisam de tempo para se adaptar e obter total domínio do aparelho, que o servirá de apoio.

Para Sérgio Miguel, não basta matricular numa escola um aluno cego dizendo que está incluído, se não for oferecido a este igualdade de condições de aprendizagem e acesso aos conteúdos em sua integridade, oferecida nos dias de hoje pela tecnologia assistiva.

“A tecnologia assistiva e a acessibilidade andam juntas, fazendo com que cada dificuldade encontrada se torne apenas mais um desafio a ser alcançado e trazendo alegria em cada conquista”, concluiu.

No encontro dos cegos dos PALOP participam 25 pessoas representando Cabo Verde, Guiné-Bissau, Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial.

PC/ZS

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos