Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

CCSL quer dirigentes sindicais com maior conhecimento das Convenções Internacionais da OIT

Cidade da Praia, 22 Fev (Inforpress) – A CCSL quer que os dirigentes sindicais tenham maior conhecimento das Normas e Convenções Internacional da OIT como instrumentos importantes nas transformações sociais pacíficas e de resiliência na obtenção de paz e justiça social.

A intenção foi manifestada hoje pelo presidente da Confederação Cabo-verdiana dos Sindicatos Livres, (CCSL), José Manuel Vaz, à margem do workshop nacional sobre “Normas Internacionais do Trabalho: Sua ratificação e implicação prática para os Estados membros”, destinado aos quadros dirigentes, delegados sindicais e presidentes dos sindicatos filiados.

Segundo avançou, a ideia é reforçar a capacidade desses profissionais sindicais sobre as normas internacionais da Organização Internacional do Trabalho (OIT), sendo que não são utilizadas com frequência na promoção e defesa dos direitos e dos interesses dos trabalhadores nas diversas dimensões, sociais económicos e culturais do país.

“A CCSL pretende igualmente dotar os quadros e dirigentes com competências que lhes permitam fazer uma intervenção sindical ao mais alto nível e que abrange não só a esfera nacional, mas também a nível internacional”, sublinhou.

Para o secretário-geral, este workshop vai permitir aos representantes dos trabalhadores assumirem as suas responsabilidades no sentido de serem os verdadeiros promotores na defesa dos direitos e interesses dos trabalhadores cabo-verdianos, tendo como base o conhecimento profundo das normas das convenções da OIT, evitando que haja cortes dos direitos e violações graves e reiteradas nas convenções da OIT.

“Pretendemos massificar os conhecimentos e a utilização dessa norma como instrumento importante nas transformações sociais pacíficas e de resiliência, na obtenção da paz, justiça social e na obtenção e alcance dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, avançou.

Por outro lado, assegurou que pretendem chamar a atenção pelo respeito das leis ordinárias internas, da própria Constituição da República e pelo cumprimento integral das Normas e Convenções da OIT, tendo sublinhando que a CCSL vai continuar a batalhar para que as mudanças feitas em 2014 no Código Laboral sejam alteradas e repostos os direitos dos trabalhadores nacionais.

O encontro de hoje conta com a participação de sindicatos das ilhas de Santiago, São Vicente, Boa Vista, Sal e Fogo e numa segunda fase serão contemplados os dirigentes das ilhas de Santo Antão, São Nicolau, Maio e Brava.

O workshop conta com o financiamento da União Europeia.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos