Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Caso Alex Saab: Equipa de defesa recorre da decisão do Tribunal da Relação de Barlavento

Cidade da Praia, 12 Jan (Inforpress) – A equipa de defesa de Alex Saab apresentou um recurso para o Supremo Tribunal de Cabo Verde contra a decisão tomada pelo Tribunal da Relação de Barlavento, na qual o seu cliente foi negado prisão domiciliária.

Em nota enviada hoje à Inforpress, a defesa lembra que essa decisão do Tribunal da Relação de Barlavento contesta a ordem emitida pelo Tribunal da CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental) em 02 de Dezembro de 2020.

Neste recurso, informa o documento, a defesa destaca o excessivo período de detenção provisória que Alex Saab está a ser forçado a cumprir na prisão no Sal, a ausência de perigo de fuga e o efeito imediato do acórdão do Tribunal da CEDEAO sobre a ordem jurídica cabo-verdiana.

Destaca ainda “imunidade e inviolabilidade de Alex Saab pelos seus postos diplomáticos, tanto como Enviado Especial, como para a sua recente nomeação como Embaixador Representante Permanente Alternativo da República Bolivariana da Venezuela para a União Africana”.

A mesma fonte recorda que a audiência principal do Tribunal da CEDEAO está ainda marcada para  04 de Fevereiro, em Abuja, na Nigéria.

Acrescenta que o  tribunal regional estabeleceu no seu despacho de 02 de Dezembro, no qual aprovou as medidas cautelares em que os tribunais de Cabo Verde deveriam conceder imediatamente a prisão domiciliária e cuidados médico especializado da escolha de Alex Saab.

Detido a 12 de Junho no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal, Saab, considerado um testa-de-ferro do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, é acusado pela justiça norte-americana, que pede, a sua extradição por alegada de lavagem de capitais no montante de 350 milhões de dólares através do sistema financeiro dos Estados Unidos.

O Governo da Venezuela afirma que ele tem imunidade diplomática e que estava a serviço do país, enquanto a defesa também já recorreu à Comissão dos Direitos Humanos das Nações Unidas e ao Tribunal da CEDEAO.

OM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos