Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Caso Alex Saab: Cabo Verde tem dado provas suficientes que não se deixa levar por pressões – Procurador-geral

Cidade da Praia, 09 Out (Inforpress) – O procurador-geral da República (PGR) disse hoje que Cabo Verde tem dado provas suficientes para se ver que não se deixa levar por pressões no mediático caso da detenção do alegado testa-de-ferro de Nicolás Maduro, Alex Saab.

Luís José Tavares Landim fez esta observação aos jornalistas momentos após uma audiência com o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, na cidade da Praia.

“Nós estamos em Cabo Verde a fazer tudo dentro da legalidade. Não se fez nada fora da lei, porque não há nenhum interesse neste sentido. Há uma fase administrativa e há uma fase judicial. Na fase judicial as instituições judiciárias é que actuam e, até agora, Cabo Verde tem dado provas suficientes para ver que não se deixa levar por pressões”, frisou.

Ainda relativamente a este caso, o PGR afirmou que se está, neste momento, a aguardar a decisão do Supremo Tribunal de Justiça, que poderá confirmar a decisão do Tribunal de Relação de Barlavento, de extraditar o detido para os Estados Unidos, ou então revogar esta decisão.

“Outras questões passam à margem da justiça. Várias campanhas, compreensíveis até em termos de estratégia de defesa, mas nós não vamos muito por aí. Temos que actuar no processo e até agora temos actuado bem. Mas o Ministério Público é fiscal da legalidade, só tenta que as coisas sejam feitas nos termos da lei, da Constituição e das leis internacionais”, referiu.

Quanto às informações que a defesa de Alex Saab levou Cabo Verde ao Tribunal da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Luís José Tavares Landim comentou não ter conhecimento.

“Nós não temos informação oficial sobre isto. Até pode levar, se tiver fundamento, mas Cabo Verde estará pronto para se defender. Nunca se ouviu as instituições judiciárias a responderem, a dizer se há ou não há. Temos que aguardar e ver. É esperar porque às vezes o que se diz não corresponde à verdade”, acrescentou.

Alex Saab Morán foi detido no dia 12 de Junho, na ilha do Sal, e aguarda desde o dia 16 de Julho o final do processo de extradição para os Estados Unidos.

GSF/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos