Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Candidatos a PR felicitam partidos políticos e cabo-verdianos pela forma como decorreu as legislativas de 18 de Abril

Cidade da Praia, 21 Abr (Inforpress) – Os ex-primeiro-ministros e candidatos a Presidente da República (PR), Carlos Veiga e José Maria Neves, felicitaram ao povo cabo-verdiano, nas ilhas e comunidades, e aos partidos políticos e seus líderes pela forma como decorreu as eleições de 18 de Abril.

Em nota de imprensa, Carlos Veiga realçou que a democracia cabo-verdiana saiu “reforçada e prestigiada” sublinhando, por outro lado, tratar-se de um “bom caminho” a ser percorrido rumo ao desenvolvimento da Nação que deve ser motivo de “grande orgulho” para todos os cabo-verdianos.

“Felicito, também, todos os partidos políticos concorrentes e respectivas lideranças pelo contributo essencial que deram nesse exercício democrático, feito em condições muito difíceis, derivadas da situação sanitária, económica e social, criada pela pandemia da covid-19 que continua a afectar a nossa vida, nas ilhas e nas comunidades”, acrescentou, parabenizado o MpD e o seu líder Ulisses Correia e Silva pela vitória alcançada.

Ainda no comunicado, Carlos Veiga, o ex-presidente do Movimento para a Democracia (MpD – no poder) felicitou os partidos da oposição por terem aceitado o resultado das eleições, sublinhando que isto, por si só, demonstra a vitalidade da democracia cabo-verdiana.

Ressaltou ainda a mesma fonte que Cabo Verde foi dotado, pelo povo cabo-verdiano, de um parlamento plural renovado, de um governo com condições de “grande estabilidade e governabilidade” e de uma oposição “forte”, todos capazes de enfrentar “com sucesso” os desafios para os próximos cinco anos, que exigirão o engajamento sólido e patriótico de todos na realização efectiva do bem comum do povo cabo-verdiano.

Por seu turno, o ex-presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde, José Maria Neves considerou que foi uma “grande jornada cívica” em que, apesar da pandemia, foi possível realizar as eleições.

Na sua página de Facebook, Neves afirmou sentir-se “orgulhoso”, pelo nível de organização e pela “forma ordeira e serena” como as pessoas se comportaram durante todo o acto eleitoral.

“As instituições democráticas saíram mais fortes e mais consolidadas deste pleito. Os meus parabéns ao povo de Cabo Verde, o primeiro grande vencedor das eleições de 18 de Abril. Os meus parabéns ao MpD e ao seu líder, Ulisses Correia e Silva pela vitória eleitoral”, escreveu.

Ainda na sua nota, na rede social, sobre as eleições e vitória de Ulisses Correia e Silva, o candidato à Presidência da República, que notou o facto de os tempos serem “difíceis”, mas “desafiantes”, augurou sucessos na governação, para o bem de Cabo Verde e de todos os seus filhos, nas ilhas e na diáspora.

José Maria Neves felicitou, também, o PAICV e a sua líder, Janira Hopffer Almada, ressaltando ter sido “um bom combate” e um contributo “de valor” para o país.

“Em democracia, a oposição é tão importante como o Governo. A dinâmica entre o poder e a oposição é o sal da democracia”, asseverou, felicitando ainda a UCID e o seu presidente, e todos os outros protagonistas do PP, PTS e PSD.

“O país vive tempos extraordinariamente difíceis. A devastação provocada pela pandemia é enorme: o PIB cai mais de 14%, a dívida pública global ultrapassa os 150% do PIB, o desemprego ultrapassa os 20%, e as empresas passam por muitas dificuldades, com risco iminente de falência”, realçou, lembrando que o turismo, motor da economia, está parado e que a retoma será “lenta e difícil”.

O candidato a Presidente da República ajuntou ainda que “o tempo exige inteligência, equilíbrio e muito diálogo”, passado o tempo agora da competição e do confronto de ideias e propostas, para entendimentos e consensos na “busca conjunta de soluções para o país”.

De acordo com os dados provisórios, disponibilizados no site oficial www.eleições.cv, após o apuramento de 1.479 do total de 1.480 mesas de voto, o Movimento para a Democracia (MpD) venceu o pleito com 110.117 votos (48.8%) numa maioria absoluta no parlamento, com 37 deputados de um total de 72 à Assembleia Nacional.

O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), com 86.948 (38.5%) votos, obteve 29 deputados, estando ainda por distribuir dois deputados relativos ao círculo da Europa e Resto do Mundo.

A União Cabo-verdiana, Independente e Democrática (UCID), obteve quatro mandatos entre os 72 eleitos, aumentando o seu escore parlamentar, que era de três, enquanto que as restantes forças políticas concorrentes nestas sétimas eleições legislativas em Cabo Verde, Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS), Partido Popular (PP) e Partido Social Democrático (PSD) não conseguiram eleger qualquer deputado.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos