Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Candidata da Morna a Património Imaterial da Humanidade já tem logótipo – Ministério da Cultura

 

Cidade da Praia, 14 Set (Inforpress) – “Abraço d’Sodad”, da empresa Oficina de Utopias, é o vencedor do concurso para a criação do logótipo de Morna – Candidata a Património Imaterial da Humanidade, promovido pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.

Em comunicado de imprensa, o Governo explicou que a comissão de jurados nomeou o logótipo vencedor por considerar que tem muita aplicabilidade, por ser tradicional, artístico e representar o conceito de africanidade, num total de 34 propostas recebidas para a candidatura da Morna à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

“A Morna, é um género musical cabo-verdiano que levou a sua identidade para o mundo, projectando no ouvido universal a palavra e o sentimento de saudade, o amor, a dor, a emigração, o mar, entre outros. Foi a partir desta relação com o mundo que se concebeu o presente logótipo, sobretudo no que diz respeito à marca figurativa”, lê-se na nota explicativa.

O Governo já anunciou que irá promover um conjunto de acções em vários países, com a realização de vários espectáculos com artistas cabo-verdianos, em Nova Iorque (Estados Unidos da América – EUA), Lisboa (Portugal), Paris (França), entre outros, com o objectivo de divulgar o potencial da Morna.

Em Outubro de 2016, o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas apresentou o vencedor do mesmo concurso, mas no mesmo dia anunciou a sua suspensão por suspeitas de plágio da proposta vencedora e cinco meses depois, a tutela da Cultura anunciou a reabertura do concurso.

Na altura, o Governo explicou que o concurso foi suspenso depois do semanário Expresso das Ilhas ter revelado que o desenho vencedor, da autoria de Ednezer Mestre, misturava elementos copiados de um arquivo digital e outros do logótipo para o Ano da Fé 2012-2013.

Entretanto, o autor da proposta vencedora rejeitou as suspeitas de plágio, assegurando que criou o logótipo de raiz e admitiu avançar para tribunal para o provar.

DR/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos