Campeonato nacional de ginástica arrancou na Praia com participação de 34 ginastas

Cidade da Praia, 23 Jul (Inforpress) – O 22º campeonato nacional de ginástica arrancou hoje no pavilhão desportivo Vavá Duarte, na Cidade da Praia, com participação de 34 ginastas de quatro regiões desportivas do País, após dois anos sem competição devido à pandemia.

A competição vai acontecer durante a tarde de hoje, das 15 às 19:30, segundo informou à Inforpress a presidente da Federação Cabo-verdiana de Ginástica, Lisandra Varela, enquanto promotora do evento.

“Contamos com participação de 34 ginastas, de quatro regiões desportivas, designadamente Santiago Sul, Santiago Norte, Sal e São Vicente porque, infelizmente, por problemas de transporte, a região de São Nicolau ficou de fora do campeonato, afirmou.

A competição, adiantou, será nas modalidades rítmica, aeróbica e acrobática, sendo que no escalão aeróbica, estão as categorias júnior e juvenil, com ginastas de 11 aos 16 anos, na acrobática com escalão iniciados e na rítmica, as categorias juniores e séniores, também com participantes de 11 aos 16.

Lisandra Varela considerou que a expectiva é dos melhores, tendo em conta dois anos de interregno devido à pandemia da covid-19, por ser este o primeiro campeonato da modalidade realizado depois da retoma.

“Temos muitas expectativas, os ginastas estão todos motivados, em boa forma física e contam ter um bom campeonato”, precisou.

A Federação Cabo-verdiana de Ginástica apontou as questões de transporte e as finaceiras como dos maiores desafios que enfrentam mas garantiu que tentam sempre fazer o máximo para contornar essas situações.

Por outro lado, lamentou o facto de existirem poucos ginastas masculinos em Cabo Verde, apesar de existirem alguns na disciplina de acrobática, e admitiu que ainda não conseguiram mudar mentalidades.

“Mas vamos aos poucos começar a introduzir isso na nossa sociedade. Em São Nicolau já há por volta de 50, na disciplina de acrobática e na Praia há um nesta competição, e em São Vicente são mais ou menos 30 ginastas masculinos”, sublinhou.

Conforme explicou, na Cidade da Praia o número de ginastas masculinos é ainda menor porque a seu ver, a população tem mentalidade um pouco fechada, porém, prometeu que vão bater na tecla até incutir-lhes nas mentes que a ginástica é para todos.

ET/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos