Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Câmara de Santa Catarina e Pró-Empresa assinam protocolo nos domínios da formação e promoção da economia local

Assomada, 11 Jun (Inforpress) – A Câmara Municipal de Santa Catarina e a Pró-Empresa assinaram hoje um protocolo de cooperação que visa a capacitação dos operadores informais e a formalização da economia informal.

O acordo foi rubricado nas instalações do Terminal Rodoviário de Assomada pelo presidente do conselho de administração do Instituto de Apoio e Promoção Empresarial (Pró-Empresa ), Pedro Barros, e pela presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, Jassira Monteiro.

Na ocasião, Pedro Barros explicou que a cooperação, ora formalizada com a assinatura deste protocolo visa dar aos empreendedores santa-catarinenses o acesso a todos os incentivos, facilidades, apoios, suportes, aconselhamentos, garantias, formação e acesso ao financiamento para que o empresariado posso se tornar “cada vez mais forte”.

A Pró-Empresa, que conta com uma delegação em Santa Catarina em parceria com a câmara municipal, conforme este responsável, vai dar todo apoio aos empresários, promotores, empregadores, jovens, menos jovens e mulheres deste município do interior de Santiago para que estes possam ter acesso as facilidades criadas pelo Governo para o sector empresarial.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, Jassira Monteiro, assegurou que o protocolo ora assinado vai permitir que além dos operadores informais do mercado novo de Assomada que outras classes também recebam formação em educação financeira.

É que, segundo ela, o que se quer ainda é que com este protocolo que se dê passos para transição da economia informal para formal.

Dirigindo-se às 50 vendedeiras do mercado novo de Assomada em formação em educação financeira, com duração de duas semanas, a autarca explicou-as das vantagens da formalização, que, segundo ela, vai permiti-las ter acesso a créditos e a segurança social, através do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS).

A formalização da economia, acrescentou a mesma fonte vai garantir uma reforma e vai “acabar” com o assistencialismo, tendo em conta que, sustentou, as pessoas vão ter a capacidades para se auto-sustentarem.

O acto contou com a presença de Dinastela Curado, em representação da Organização Internacional do Trabalho (OIT), instituição das Nações Unidas que tem vindo a financiar projectos na área da formação profissional em Santa Catarina.

FM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos