Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Câmara da Praia cria espaço público para participação da sociedade civil nas acções camarária 

Cidade da Praia, 27 Dez (Inforpress) – A Câmara Municipal da Praia procedeu hoje a apresentação pública do corpo de voluntariado municipal tendente a promover a participação da sociedade civil nas actividades, acções e intervenções da autarquia, e tornar a cidade “cada vez mais inclusiva”. 

A informação foi avançada pelo presidente da autarquia capitalina, Francisco Carvalho, que assegurou que vão ser criadas “todas as condições necessárias” para o exercício de uma cidadania “activa, interventiva e solidária” para “juntos defenderem e construírem o melhor para o município”. 

“O objectivo é criar um amplo espaço de participação da sociedade civil nas actividades, acções e intervenções”, explicou o autarca, que disse que o foco é ter “acções concretas devidamente planificadas” e “atempadamente divulgada”, de modo a que os voluntários possam dar o seu tempo e conhecimento a favor do desenvolvimento da cidade e da criação do espírito de colectividade. 

Criado pela autarquia através do Gabinete de Associativismo e Voluntariado, avançou que o corpo vai ser dirigido por um coordenador e prevê acções e actividades a nível da educação, ambiente, formação e capacitação dos jovens, da terceira idade, entre outros. 

“Para completar essa ideia de dar corpo e a vontade de ter a participação da sociedade civil aqui no município da praia, vamos ter ainda o conselho consultivo no início do próximo ano, e teremos também um conjunto de secções abertas temáticas onde a câmara estará a ouvir os munícipes nos Paços do Concelho assim como nos diferentes bairros da capital”, apontou. 

Sublinhou que ao longo do primeiro ano de mandato, a autarquia conseguiu criou diversos espaços de participação, mas constataram que havia necessidade de criar esse espaço, uma vez que a sociedade civil se manifestou disponível para colaborar e dar o seu contributo ao município.  

“Nos sentimos que havia necessidade de abordarmos em conjunto e de forma colectiva os problemas que são comuns e colectivos, sendo que a questão do ambiente é central”, sublinhou Francisco Carvalho, que afirmou que a pandemia da covid-19 veio reforçar a ideia de que é preciso “apostar cada vez mais em acções conjuntas e colectivas” envolvendo a comunidade. 

Na ocasião, Francisco Carvalho assegurou que para implementar esse projecto a câmara “gastou o mínimo”, e realçou que o “grande recurso” é a participação e a contribuição das pessoas, enquanto voluntários do projecto. 

AV/AA 

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos