Cabo-verdianos aconselhados a realizar testes de rastreio do cancro da próstata para prevenirem-se da doença

 

Cidade da Praia, 15 Nov (Inforpress) – O médico Henrique Vera-Cruz aconselhou hoje os cabo-verdianos a realizarem testes de rastreio do cancro da próstata para prevenirem-se desta doença.

O especialista, que falava à margem da palestra sobre prevenção e combate ao cancro da próstata, na Cidade da Praia, promovida pela Enapor (empresa nacional dos portos), sublinhou ser importante o diagnóstico precoce dos cancros, sendo a prevenção factor determinante para evitar a doença.

“O cancro da próstata é o segundo câncer mais mortífero no homem e está a ter um grande incremento entre os cabo-verdianos. O avanço do cancro em Cabo Verde nos preocupa e, em particular, da próstata”, alertou.

Em Cabo Verde, segundo o médico-cirurgião, “ainda lida-se mal com os cancros, por fala de meios, informação”, o que leva as pessoas a procurarem, tardiamente, os cuidados de saúde.

“Por isso estamos a proferir esta palestra sobre prevenção e combate ao cancro da próstata, visando sensibilizar as pessoas para os sintomas e sinais e poderem procurar mais precocemente os cuidados de saúde”, salientou Henrique Vera-Cruz.

De acordo com Vera-Cruz, ultimamente, as pessoas estão mais sensibilizadas sobre a importância da realização dos testes de rastreio do cancro da próstata, mas disse que “há ainda muito trabalho” a fazer no domínio da prevenção desta doença no país.

O administrador delegado do Porto da Praia, Celso Sena Martins, por sua vez, disse que a palestra, que se enquadra no programa de actividades comemorativas do 35º aniversário da Enapor, visa fazer uma abordagem preventiva sobre esta doença que também afecta os trabalhadores da empresa.

“Neste momento, temos tido um trabalho árduo em termos de motivação e preocupação com a saúde dos trabalhadores. Aliás, já realizamos palestras sobre o câncer da mama, o consumo do álcool e outras drogas. E hoje estamos a falar sobre o cancro da próstata”, informou.

Durante a palestra, os participantes vão ser informados sobre os meandros, tabus e consequências sociais e psicológicas da doença, desde a manifestação ou sintomas, formas de prevenção, diagnóstico e tratamento, factores de risco, assim como as suas causas.

Para além da palestra, hoje também vão ser realizados testes de rastreio do cancro da próstata a cerca de 80 trabalhadores com o objectivo de prevenirem-se desta doença.

A partir dos 40 anos, as pessoas podem começar a fazer as consultas de rastreio do cancro da próstata.

JL/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos