Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cabo Verde tinha mais de 10 mil empresas activas em 2018 – INE

Cidade da Praia, 28 Mai (Inforpress) – O Inquérito Anual às Empresas (IAE) revela que Cabo Verde tinha mais de 10 mil empresas activas em 2018, um aumento de 4,6% em relação ao ano anterior, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com as informações do INE, em 2018, existiam em Cabo Verde 10.390 empresas activas, que geraram um volume de negócios de mais de 290 mil milhões de escudos, o que representa um acréscimo de 7,5%, face a 2017.

As empresas empregaram 70.864 pessoas, destas 58,3% são homens e 41,7% mulheres, tendo registado uma diminuição de 1,4% do número de pessoas ao serviço, comparativamente ao ano anterior.

O INE indica que houve um forte acréscimo de empresas activas, nas ilhas da Brava e Fogo comparativamente ao ano 2017 e uma diminuição significativa na ilha de São Nicolau.

Os dados apontam que as ilhas do Sal, Fogo e Santo Antão foram onde se registaram maior aumento do número de pessoas ao serviço, comparativamente ao ano anterior, enquanto que na Boa Vista, São Nicolau e Maio houve uma diminuição.

Nota-se que a ilha do Fogo, foi a que registou maior crescimento do volume de negócios, registando um acréscimo de 31,8%, relativamente ao ano 2017.

O inquérito revela que as empresas sem contabilidade organizada representam cerca de 66% das empresas activas no país e geraram um total de 16.789.890 contos enquanto que as empresas com contabilidade organizada empregaram cerca de 76% do total de pessoas ao serviço em 2018 e contabilizaram um total de 280.318.305 contos.

“As sociedades anónimas e outras foram as maiores empregadoras, empregando cerca de 35% do total do número de pessoas ao serviço e, geraram também maior volume de negócios de (58,0%) do total da facturação das empresas em 2018”, avança a mesma fonte.

Segundo o INE, a facturação média por trabalhador foi maior na ilha de São Vicente com (5 177 contos) e menor na ilha da Brava (1 233 contos), e a facturação média por empresas foi maior na ilha do Sal com (50 207 contos) e menor na ilha do Maio com (2 208 contos).

O Comércio, era o sector que concentrava o maior número de empresas activas no país com (44,6), e também a que mais contribuiu para o volume de negócios com (43%) seguindo Alojamento e Restauração com (16,2%) e Indústria Transformadora com (9,0%).

Nota-se que os sectores do comércio com (22,7%), alojamento e restauração (21,7%) e indústria transformadora (13,9%), empregaram maior número de pessoas ao serviço.

Os dados apontam ainda que a maior parte das empresas activas são chefiadas ou geridas por homens, com (62%), e que as mulheres estão à frente dos sectores do alojamento e restauração, educação e saúde.

Com excepção da ilha do Maio, grande parte das pessoas em serviço são do sexo masculino.

O inquérito indica que das 10.390 empresas activas em 2018, 73,2% são microempresas, 10,6% pequenas empresas, 13,3% médias empresas e 2,9% são grandes empresas.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos